“Tudo por uma promessa” - 16º Capitulo

|

POV NARRADOR

Bom, hoje, de todos os dias que Lua tem passado, com certeza era o pior. Eram precisamente 13horas da tarde e a menina não tinha conseguido comer nada. Não entrava sabe?
Sabe aquele nó na garganta de quando algo não nos corre bem? Pois ela sentia isso…  mas não é que não tivesse corrido bem. Era apenas aquela falta que ela sentia de uma pessoa que teria de levar com isso para o resto da vida.
A mae da Lua morreu ontem, vitima de cancro e hoje será o seu funeral. Ele começa as 15horas.
Felizmente, Lua não organizou nada, pois seria muito difícil para ela. Foi a sua família, da parte da mae, que organizou o funeral e tudo mais que tenha a ver.
Arthur e Lua se arrumavam para o funeral. Hoje mal trocaram uma palavra. Não que Arthur quisesse, mas digamos que Lua não se encontra disposta a falar com ninguém.

Como o costume, todos se vestiram de preto (Em Portugal é assim pelo menos, no Brasil eu não sei), roupas bem escuras e discretas. Mas Lua não se sentia bem ali naquelas roupas…

Lua: tem algum mal se eu levar uma blusa preta?
Arthur: claro que não – ele foi atencioso com ela – mas por que?
Lua: não me sinto bem, vestida toda de preto
Arthur: coloca uma coisa confortável
Lua: é isso que eu vou fazer

Lua trocou a blusa preta, por uma simples branca, mesmo na frente do Arthur. ele até ficou admirado, mas reagi-o normal pois essa não era hora de safadezas.
Apos se arrumarem, desceram para a sala.

Lua: vamos?
Arthur: nada disso, voce vai comer antes
Lua: não quero Arthur
Arthur: quer sim
Lua: Arthur, eu não consigo
Arthur: Lua, eu não deixou voce sair de casa sem comer. Não deixo mesmo! – disse serio – voce quer o que? Desmaiar lá?
Lua: eu não consigo Arthur – ela sentou no sofá e começou a chorar de novo
Arthur: ai meu deus, de novo não coisa linda – Arthur foi consolar ela – por favor, é só um pouco vai
Lua: tá bom…

Arthur levou Lua à cozinha e assim conseguiu que ela comesse uma coisinha. Embora que essa coisinha mal desse para alimentar um pobre pássaro. Mas pronto.
Sairam de casa e foram ter à capela (capela é uma espécie de igreja so que mais pequena onde decorre o funeral, não sei como é no Brasil) onde já estava o corpo da mãe da Lua no caixão e o resto da família.
Ela e Arthur entraram na capela, fazendo todo o mundo olhar para eles. Eles foram até ao caixão e viram a dona Cláudia lá.
Pele branca, mãos meias roxas, olhos fechados,  rosto irreconhecível… eram plenos sinais de cancro. Lua não aguentou ver tal imagem e caiu no choro de novo. Ela so se lembrava da imagem da avó, também no caixão, ao lado da mae e assim ver as mulheres mais importantes da vida dela, morrer ao mesmo tempo.

Xx: Lua, os meus pesamos – disse a tia – muita força linda, voce consegue – disse apertando a mao dela
Kk: força Lua, voce consegue superar isso – disse o tio, fazendo um carinho nas costas dela
Ww: eu to aqui para o que voce precisar Lua – disse outra tia tentando confortar a dor dela

Lua nem conseguia falar. Apenas abanava a cabeça que sim, enquanto chorava.

Matilde (prima) chega: Luinha, minha princesa, coitadinha de voce – disse a prima a abraçando, sínica – voce está com um ar terrivel minha linda… um pouco de maquilhagem te ficaria bem melhor
Lua: desaparece daqui antes que eu faça um escândalo aqui! – disse Lua, irritada, ainda chorando
Matilde sorri: calma, não vamos ser agressivas né? Força ai… - disse ela saindo

Arthur foi ter com Lua, pois antes estava na porta, enquanto Lua falava com a família.
Arthur passou a missa inteira grudado de Lua, tentando confortar ela, embora que fosse impossível pois toda a hora Lua chorava e cada vez que falavam da mae, era mais um forte motivo de choro.

Na hora de chegar o caixão, Lua pediu que esperassem um pouco. Lá foi até à mae, pegou a mao dela e deu um beijo na sua testa.

Lua: eu te amo mae, olha por mim lá em cima – disse ela chorando muito
Arthur: vem Lua – disse Arthur pegando pela cintura dela

Os homens fecharam o caixão e levaram-no até ao lugar para enterrar. Lá, o senhor padre fez a oração e mandou enterrar. Esses foram os grandes motivos de choro, não só para Lua como também para o resto da família, pois como eu já disse, Dona Cláudia era uma mulher super amável.  

(…)

Depois do funeral, Lua e Arthur tiveram de abandonar o local pois Lua não parava de chorar. Arthur levou ela pra casa…
Mas ainda lá…

Matilde: viu o moço que tava com ela?
Tia: vi sim, ele abraçou ela o tempo todo
Tio: deve ser namorado
Matilde: é noivo
Tia: como voce sabe?
Matilde: eu vi a aliança deles dois
Tio: a Lua? Casar tao nova? Voce não está bem
Matilde: to falando que eu vi! – insistio ela
Tia: bom, vamos, temos de apanhar o voo para SP
Matilde: não, eu vou ficar. Vou ficar na casa de uma amiga
Tio: ta bom. Mas como voce volta?
Matilde: não sei, depois eu falo para vocês
Tio: ok, juízo

Matilde se despediu dos pais e foi procurar uma hotel para ficar.
Na casa do nosso jovem casal, as coisas estavam no mesmo estado: super triste.
Lua já não chorava, mas estava deitada na cama desde que chegou.
Arthur trocou de roupa e fez um lanche para os dois, levando depois para o quarto.

Arthur: Lua – ele chamou
Lua: diz? – ela sentou na cama, devagar, ainda triste
Arthur: olha o que eu fiz – ele sorriu, mostrando o tabuleiro
Lua: não Arthur… - ela fez careta
Arthur: voce não pode se recusar a comer. Voce não tem fome?
Lua: mais ou menos… mas não tenho vontade
Arthur: eu dou para voce – ele sorriu

Arthur pegou a taça de salada de frutas e com uma colher foi dando à Lua e comendo também de vez em quando.
Arthur fazia a brincadeira de aviãozinho para que Lua soltasse um sorriso e isso resultava sempre.

Arthur: voce fica tao mais linda quando sorri – ambos sorriram – muito melhor do que te ver chorar
Lua: acho que não consigo chorar mais, esgotei as minhas lagrimas
Arthur: ainda bem – Arthur pegou na mão dela – não te quero ver nunca mais chorar. Dá um aperto no coração terrível. Dá vontade de pegar voce e chorar junto.
Lua: tolinho – Lua abraçou Arthur – acho que nunca ninguém me apoiou tanto nesses momentos como voce. Voce tem sido um anjo pra mim sabia?
Arthur: voce merece

E finalmente, pela primeira vez no dia, Arthur beijou Lua.
Mas foi um beijo bem calmo, pois como eu já disse, não é altura para safadezas.

Arthur: Lua, e o nosso casamento?
Lua: temos de falar disso agora? – fez careta
Arthur: temos… - ele suspirou – eu tenho a sensação que voce não quer casar comigo
Lua: não é que eu não queira, é que eu não sei se voce quer
Arthur: eu não me importo de casar com voce…
Lua: tem a certeza?
Arthur: Lua, já falei que gosto de voce – ele sorriu – logico que não tem problema.
Lua: tenho a certeza que isso vai acabar depois né?
Arthur: não, logico que não vai.

Enquanto a conversa deles decorria, Matilde, prima de Lua e Thiago, telefonou ao Thiago para poder ficar com ele esses dias aqui no Rio. Thiago aceitou logo e foi buscar ela e leva-la para a sua casa.

Thiago ri: ela morreu? – ele riu – nossa, a Luazita deve estar acabada -  ele riu de novo – bem feita!
Matilde: confesso que me deu muita pena… mas tem novidades
Thiago: que novidades?
Matilde: ela tem namorado
Thiago ri: voce chama aquilo de namorado?
Matilde: não, eu chamo aquilo de futuro marido
Thiago: o que?
Matilde: eles vao casar. Têm aliança no dedo
Thiago: mentira… - ele ficou de boca aberta – isso é mentira!
Matilde: como assim é mentira?
Thiago: tudo não passa de um plano. Eles têm de casar e ter pelo menos um filho para ficarem com a herança da avó Maria
Matilde: mentira… - disse ela chocada – pensei que nem havia herança
Thiago: como não? claro que há! E muita herança! Mas isso vai ser meu
Matilde: mas como assim? Vocês estão disputando?
Thiago: sim. Se ela casar com aquele mariconso e ter filhos, ela fica com a herança. Mas isso tem um  prazo, que a cada dia que passa, esta acabando.
Matilde: mas quanto tempo falta?
Thiago: o suficiente para fazerem um filho e terem ele
Matilde: mas isso não pode acontecer né?
Thiago: logico que não!
Matilde: então eu vou te ajudar
Thiago: como?
Matilde: depois vemos isso… mas me conta mais desse plano… - continuaram

Aqui está o capitulo de ontem, desculpem nao ter postado ontem :)


7 comentários:

  1. meu deus...
    será que eles vão conseguir?
    uuuuuuuuuhhhuuuuu
    medo :(

    ResponderExcluir
  2. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  3. Maaais ? Espero que eu não tome raiva dessa Matilde !

    ResponderExcluir