8 Segundos - CAP. 36

|


8 Segundos


Capítulo 36: 


Pov. Lua
Enquanto fazia as malas, pensei em quanto tinha sido feliz com o Arthur naquele quarto. Mesmo que por pouco tempo, mesmo com todos os problemas, ainda assim fui mais feliz com ele do que em toda a minha vida. Pois era verdadeiro. Era real. Não quis fazer as malas do Arthur, ele não tinha levado quase nada, mas eu deixaria que Mel buscasse. Ao me lembrar dela, resolvi fazer uma coisa. Não poderia partir sem dizer quanto ela havia sido importante para mim. Não queria me afastar dela. Peguei uma folha na biblioteca e escrevi uma carta. Deixaria com Lúcia, para que ela entregasse à minha amiga.
— Vamos? — meu pai me chamou da porta do carro. Parei nas escadas da sede e fiquei olhando para aquela grande casa. Lúcia e Aparecida estavam na porta. Quando nos despedimos, pedi desculpas pelo meu comportamento ao chegar, esperando que elas tenham me perdoado.
Lua? O avião precisa sair antes do anoitecer — meu pai avisou. O avião particular do meu pai estava na capital. Iríamos de carro até lá, o que levaria algumas horas. 
Fizemos o percurso até o hangar em silêncio. Meu pai estranhou um pouco, pois eu nem reclamei quando ele colocou Sinatra para tocar. Na verdade, eu até curti a música. Desci do carro, e o piloto já nos esperava. Entrei e me acomodei em uma poltrona perto da janela, enquanto meu pai embarcava as malas.

— Tudo vai ser diferente, filha. — Meu pai se sentou ao meu lado e segurou minha mão.
— Eu sei, pai. — E realmente sabia. Se eu amaria novamente? Se outro tomaria o lugar do Arthur no meu coração? Não poderia prever. Mas de uma coisa eu sabia: não importava o que acontecesse, eu sempre iria amá-lo. Olhei pela janela e vi um homem se aproximar ao longe. A janela estava embaçada, pois havia chovido, mas imediatamente meu coração falhou uma batida. Minha respiração acelerou, e rapidamente tirei o cinto que me prendia. O cara estava de chapéu e camisa xadrez. No mesmo momento, eu me levantei e fui até a porta.
— Abre, pai! — gritei. Meu pai levantou atônito com minha atitude.
Lua, já vamos levantar voo. — explicou, tentando me fazer voltar.
— Por favor, abre, pai. É o Arthur. — Bati na porta e o piloto saiu da cabine me olhando como se eu fosse louca. — Abre a porra da porta! — Ele então abriu. As escadas ainda não tinham sido retiradas, então eu desci correndo. Mancava muito, pois meu pé ainda doía, mas Arthur tinha ido atrás de mim. E o inacreditável: tinha ido atrás de mim andando! Meu Deus! Ele estava andando. Era como a cena de um filme antigo. Fui ao encontro do meu amor. Olhei freneticamente para os dois lados e não o avistei mais.
Arthur! — gritei para tentar encontrá-lo. — Meu amor, cadê você? — Meus pulmões falhavam, mas eu gritava cada vez mais alto.
— Moça, não tem ninguém aqui com esse nome não. — uma voz masculina me respondeu. Parei estática e, segundos depois, me virei. Dei de cara com um rapaz todo sujo de graxa. Meus olhos queimaram, e a dor dilacerou meu peito. Ele usava camisa xadrez e chapéu. Era o cara que eu tinha visto pela janela do avião. Então percebi que, infelizmente, minha vida não era como num filme. Eu não era uma mocinha e Arthur não era meu príncipe encantado.

Pov. Arthur

— Melanie! Melanie! — gritei diversas vezes pela minha prima. — Meu Deus do céu! — agradeci emocionado. Acordei e tentei me levantar. Aquilo sempre me deixava frustrado, pois eu nunca me lembrava de que não conseguiria, mas dessa vez foi diferente. Assim que forcei as pernas, elas se mexeram, pouco e devagar, mas se mexeram.
— O que foi, mano? — Mel entrou no quarto com Chay e ambos me olharam preocupados. Eu não disse nada. Olhei para as minhas pernas e os dois seguiram meus olhos. Fiz um esforço enorme e consegui mexê-las novamente.
— Ah, meu Deus! Ah, meu Deus! — Melanie pulava que nem uma louca e batia palmas. — Eu sabia que Deus não ia nos abandonar, Arthur. Rezei muito para Nossa Senhora Aparecida te proteger, meu irmão. — Ela chorava que nem uma boba. Chay andou até a cama e me puxou para um abraço, me suspendendo.
— Eu sabia, cara. — Bati em suas costas. — Logo, logo Ranger estará de volta. — Chay disse sem conseguir segurar a emoção. Assim que ele me colocou novamente na cama, foi a vez de a minha pequena se jogar em cima de mim. Fui atacado por seus beijos melados e abraços apertados. Mas, quando Mel levantou, notei que algo tinha caído do bolso do seu casaco.
— Maninha, o que é isso? — Apontei para o envelope na cama. Mel e Chay se entreolharam, o que me deixou ainda mais preocupado.
— Ela foi embora, Arthur. Chay respondeu.
Lua voltou para a cidade. — Mel completou, e eu senti meu coração parar. Meu Deus! O que foi que eu fiz?! Melanie não me disse nada. Ela me entregou o envelope e saiu do quarto segurando a mão do Chay. Abri o envelope. Nele havia uma única folha branca, com letras bem-desenhadas, que chamavam a minha atenção.
Melanie,
Eu poderia te escrever um e-mail, mas com certeza você não tem computador. Ops! Desculpa a brincadeira, força do hábito. Estou escrevendo para me despedir. Nunca achei que fosse tão difícil dizer adeus, então preferi escrever do que te encarar. Vir para a fazenda foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Eu cheguei como a Cristal e agora vou embora como a Lua. A garotinha mimada cresceu e, quando percebeu que perderia algo que realmente valia a pena, aprendeu a dar valor às pessoas. 
Aqui eu me descobri, descobri o meu passado, descobri você, a amizade e o amor. Muitos sentimentos que eu nem sabia que existiam. Olho para o meu passado e percebo que Arthur tinha razão: eu era oca. Eu queria muito ficar, mas não posso, não consigo. É uma luta perdida, e eu aprendi que nem tudo está ao alcance das minhas mãos. Entendo o Arthur, não é fácil olhar para a família das pessoas que ele odiou a vida inteira. Por isso preferi partir. 
Mel, por favor, cuida dele. Seja paciente, compreensiva e carinhosa. Não deixe que ele faça corpo mole na fisioterapia nem que esqueça os remédios. Faça meu peão andar! 
Seja sempre assim, como você é. A garota caipira que me conquistou. Obrigada por acreditar em mim quando eu mesma não acreditava. Por gostar de mim, quando nem eu sabia quem eu era. Por simplesmente me fazer descobrir o que realmente é uma amizade. Eu levarei essa conquista para sempre em minha vida e em meu coração. 
Agradeça ao Chay por mim e diga a ele que, quando eu o vejo, o sentimento que o define para mim é LEALDADE. Nunca vi amigo mais fiel. Arthur tem uma sorte grande e você, “pequena”, ganhou na loteria. Não deixe ninguém estragar esse amor. Lute por ele até o fim, pois vale a pena. É incrível o aprendizado que levarei daqui. 
Aprendi com o Rodrigo que se deve abrir mão de quem se ama se for para o bem dele. E foi o que eu fiz. Deixei o Arthur para que a minha presença não o tornasse amargo e triste. 
Aprendi com o Henrique que as aparências enganam. Senti na pele esse ditado. Aprendi com o Santiago o que é ser um pai de verdade. Espero que a minha relação com o meu mude e, se chegar perto da sua, já ficarei feliz. 
Aprendi com a Raquel que nem sempre o convencional é o certo e nem sempre o certo é o que prevalece. Aprendi com a minha mãe o que é perder um grande amor. 
Aprendi com o Arthur o que significa a palavra ESPERANÇA, pois com ele descobri que posso ter uma vida diferente. A minha esperança é um dia encontrar alguém que me ame com a mesma intensidade com que eu o amo. Sem limites. 
Eu sempre vou amá-lo. O Arthur me salvou! 
Com carinho, Lua.

Li e reli tentando imaginar a dor que Lua sentiu ao escrevê-la. Minhas lágrimas molhavam o pedaço de papel, enquanto era castigado pela dor de perder a mulher que eu amava. E o que mais me doía era saber que eu tinha causado tudo aquilo. Que eu era o culpado de tudo. Era eu... eu... eu. Lua dizia na carta que me entendia, e isso me matava, porque eu ainda não conseguia perdoar sua família. Quando pensava que ela não tinha nada com a morte dos meus pais, eu me lembrava dos dois no caixão. Não conseguia! Por mais que racionalmente eu soubesse que Lua não era culpada, que ela era tão vítima quanto eu, meu coração insistia em dizer que eu a faria sofrer. Que, sempre que ouvisse o seu sobrenome, eu a julgaria. Lutei contra os meus sentimentos olhando para aquelas palavras e decidi que o melhor era deixá-la partir. Lua tinha sido corajosa. Ela teve uma coragem que eu não teria.
— O que você vai fazer? — Melanie perguntou. Ela também chorava, de pé na porta do quarto. Elas tinham ficado muito amigas, e com certeza minha prima sentiria sua falta. Fiz um gesto para que se aproximasse. Mel se sentou ao meu lado e descansou a cabeça em meu peito.
— Eu sei que ela vai fazer falta. Aquela garota virou nossas vidas de cabeça para baixo, mas foi melhor assim. — Mel chorava mais ainda. — Não podemos lutar contra algumas coisas. Acho que Lua e eu nascemos para mudar a vida um do outro, mas não para ficarmos juntos.
— Eu aprendi a gostar daquela patricinha mimada. — sussurrou, agarrada a mim.
— Eu também, Melanie. Eu também...

N/A: Ok, podem chorar comigo esse capítulo abalou todas nossas estruturas :( Fiquei com tanta pena da Lua tadinha, o Arthur é muito cabeça dura. Essa carta partiu meu coração... 
O que vocês acharam???


Com mais 10 comentários, posto o próximo capítulo.
Ps: Mais tarde tem o final de Bc. Beeeijo!

31 comentários:

  1. Mdssss o que foi issooo.. Como Arthur é cabeça dura, eles não podem aceitar isso assim, pelo amor, quero o próximoooo!! OBS: não estava preparada pra esse capítulo.

    ResponderExcluir
  2. MEU DEUS! O QUE FOI ESSE CAPITULO? Como faz pra parar de chorar? Tadinha da Lua :(

    By: Naat'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi triste demais mesmo Nat, não sei como faz pra parar de chorar haha Se descobrir me fala!

      Excluir
  3. Tenho que começar a me preparar antes de ler capítulos assim, essa carta é pra acabar com a gente!! Lua podia deisistir de última hora, mas deve ser melhor para eles esfriarem a cabeça e depois reatarem e serão ainda mais felizes e se amarão ainda mais!!
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa carta da Lua foi pra cortar nossas corações Helena, verdade eles precisam de um tempo para poderem refrescar a mente.

      Excluir
  4. Aiiiiiii que idiota idiota idiota... Que otário..... POR QUE? POR QUE? Que merda vei... Que raiva dele... Poxa que babaca.
    Se ele a ama de verdade por que não lutar? Enfrentar as barreiras juntos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de ele amar a Lua de verdade, Arthur é cabeça dura e orgulhoso demais. Ele precisa esfriar a cabeça no momento.
      Obs: Coloque nome, amoreco!

      Excluir
  5. Mesmo sabendo que está difícil para ela também ele não deixa o orgulho de lado... Por que será que as histórias de amor tem que ser assim? Tristes? Sei que tá sendo difícil para ele, mais por que tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda história é boa com aquele friozinho na barriga né?! Com medo do que está por vim. Na verdade, o amor é complicado. Os dois no momento estão sofrendo muito, porém o Arthur é cabeça dura e orgulhoso demais. Mas vamos ver o que vai dar isso tudo, né.

      Excluir
  6. O que será que vai acontecer agora? Será que vão se passar anos e os dois continuarem separados? Será que esse babaca do Arthur vai tentar esquecer a Lua com outras? Quero mais é mais e mais capítulos o quanto antes melhor .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que vai acontecer eu não posso contar hahaha Tenho certeza que vocês vão gostar e se surpreende muito com o desfecho da história.

      Excluir
  7. Meu Deus Chorei Horrores aqui com essa carta da Lua,tadinha ela não tem culpa do oq aconteceu,o Arthur tmb é um cabeça dura em,até quando eles vão fica separados ???
    Anciosa para o Próximo *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi doloroso mesmo essa carta da Lua, tadinha :( Logo logo vocês vão saber Ana, beijo!

      Excluir
  8. Esse capítulo foi um tiro, o Arthur precisa ir atrás dela!! Posta mais

    Gabriella

    ResponderExcluir
  9. Que capítulo tristonho! Estou com pena dos dois! O amor é sempre complicado de explicar, é apenas sentir! E é isso que esta acontecendo com eles! Sentindo o amor que um tem pelo outro e o perdê-lo! Amo essa web! Posta mais kk!

    Lydiane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eles estão passando por um momento bem conturbado. Fico feliz que estejam gostando. Beeeijo

      Excluir
  10. Chorando rio e rio :'( que triste #CoraçãoPartido
    By' annninnhak

    ResponderExcluir
  11. Esde capítulo partiu meu coração não tem como não chorar com ele!!
    Espero que fiquem juntos novamente e que o amor deles não se perca no tempo de distância deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No momento eles precisam esfriar a cabeça amore, mas tenho certeza que vão gostar da história.

      Excluir
  12. Boa noite!Amei esse capítulo assim como todos os outros, todos muito bem feitos nos fazendo viciar a cada dia mais, meus parabéns pela ótima web.Eser ando ansiosamente pelo próximo capítulo. Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho Paula, fico feliz que esteja gostando :)

      Excluir
  13. Nossa essa web tá acabando comigo :( como não chorar lendo isso cara? Não sei oque vai acontecer mais espero que eles fiquem juntos!
    Fany

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses momentos tristes acabam com a gente mesmo Fany, mas tenho certeza que você vai se surpreender com a história.

      Excluir
  14. Meu Deus eu to mt angustiada depois dessa! Continua logo a história pelo amoooor, chorei mt com o desespero dela pensando ser o Arthur fora do avião e chorei mais ainda com a carta! :'(
    Maria Julia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade foi super triste Maria, logo logo posto mais.

      Excluir