Milagres do Amor - Cap. 56º

|

Milagres do Amor
Destino, passado, presente e futuro! | Final

Pov Narrador

Já se fazia mais de um mês que eles estavam em lua de mel, esse tempo todo Rita trabalhava arduamente para deixar a casa que Arthur irá dar a Lua impecável, eles iriam embora no dia seguinte. As malas já estavam prontas, tudo estava em seu devido lugar.

Arthur estava dormindo tranquilamente, Lua não teve a mesma sorte, a insônia resolveu lhe pegar. Estava há horas tentando dormir, por fim quando o relógio marcou duas horas da manhã resolveu se levantar. Saiu dos braços de Arthur, lhe dando um beijo na testa. Iria colocar o roupão, mas sabia que não tinha ninguém na casa, decidiu sair como estava mesmo, só com uma blusa branca grudada no corpo e um short preto curto. Foi andando pelos corredores, passando a mão em tudo tentando guardar na memória momentos maravilhosos que passou ali com Arthur.

Foi para a cozinha, abriu a geladeira pensando no que comer, é, estava com essa mania agora, além de levantar de madrugada, sempre procurava o que comer na geladeira. Não achou nada de interessante e optou por uma fruta, pegou uma maça e continuou andando pela casa, com os pés descalços. Quando Arthur lhe mostrou o tamanho da casa ficou abismada, tinha tudo ali, era enorme e muito luxuosa, sempre exagerado.

Foi até a área da piscina aquecida, mordeu sua maça e sentou em uma das cadeiras dali. A água azulzinha estava lhe chamando para um mergulho, apesar de lá fora estar um frio do cão, dentro de casa estava calor. Ficou alguns minutos pensado se entraria ou não, por fim decidiu entrar, colocou as pontas dos pés na água, só checando se a temperatura estava mesmo boa e pulou de roupa e tudo. Não iria perder tempo de vestir um biquíni. Apesar de ter se afogado, Lua era uma boa nadadora, estava se deliciando com a água mergulhando de um lado ao outro. Todos os seus movimentos sendo observados por Arthur que após ela ter saído da cama, acordou de imediato.

Ele se sentou na cadeira de madeira que dava de frente para a piscina e contemplou a visão. Lua estava tão distraída que não o percebeu ali, só quando emergiu parou de frente para ele, que lhe lançou um sorriso brilhante ainda com a cara sonolenta. Lua retribuiu mordendo o lábio, tentando acalmar seu coração, que batia descompassado. Perguntou se se isso não acabaria nunca, já tinha um mês que estavam casados, e tudo que eles faziam parecia a primeira vez. Cada vez que faziam amor, era as mesmas sensações intensas de sempre, que acabava com o prazer de ambos explodindo como uma bomba em frente aos seus olhos e corpos arfantes e suados. Cada olhar era puro amor e desejo.

Cada carinho trocado, as palavras, tudo era puro amor, em cada poro de seus corpos. O casamento só melhorou tudo. Lua saiu da piscina arrumando o cabelo e corou ao ver o olhar guloso que Arthur lançava a ela, sua blusa branca estava totalmente transparente, mostrando seus seios túrgidos. Ela chegou até ele e se ajoelhou em sua frente, olhando em seus olhos. Ele pega suas mãos e entrelaça com a dela beijando as costas.

– Nós já temos mais de um mês de casados e você ainda cora com a minha presença. – soprou em sua direção retirando um fio de cabelo molhado que caia em seu rosto.
– Desculpe, eu não posso evitar. – diz mordendo o lábio.
– Não estou reclamando, eu adoro isso, você fica mais linda com essa tonalidade rosada nas bochechas. – diz beijando suas bochechas. – Mas me responde uma coisa?
– Claro.
– Você nada bem, por que se afogou aquele dia? – pergunta desconfiado.

Não saia de sua cabeça o que Mel disse naquele dia, que Alana a tinha empurrado. Porém, ficou tão transtornado por quase perdê-la que se esqueceu por completo disso. Lua fechou os olhos e engoliu em seco, relembrando os segundos de agonia passados.

– Eu sei nadar, só não me dou bem com o mar, aquele mundaréu de água me dá agonia. Quando eu tentei subir aquele dia, eu me apavorei só tinha água em todo lugar e a dor em minha cabeça estava insuportável… então eu me afoguei. – Arthur assentiu, mas a dúvida ainda continuava ali.
– Você caiu mesmo? Ou foi empurrada? – ele observa ela arregalar os olhos e balançar a cabeça.
– Eu não quero falar disso, me traz lembranças ruins. – se esquiva da pergunta.
– Desculpe por isso, eu só queria entender o que aconteceu de verdade, eu fiquei tão frenético e com… Medo de perdê-la que eu me esqueci de tudo que não fosse você bem e respirando nos meus braços. – Ela sorri encantada e ele a puxa para seu colo, molhando sua blusa e sua bermuda, ela solta um gritinho de surpresa.
– Amor, vai molhar tudo.
– E quem se importa? – pergunta beijando-a apaixonadamente.

Ela balançou a cabeça e seu sorriso sumiu, não se sentia bem mentindo pra ele. Mordeu os lábios engolindo o nó que se formou em sua garganta.

– Eu fui empurrada. – falou de repente, de imediato sentiu Arthur prender a respiração e enrijecer. Não ousaria olhar para ele, sabia que o que veria não seria nada agradável.
– Que merda, Lua. Por que só me fala isso agora? – a tirou de seu colo e se levantou passando as mãos pelos cabelos nervosamente.
– Arthur…
– Você vinha mentindo pra mim esse tempo todo? E que porra, eu fui um burro esse tempo todo. Deveria ter acreditado na Mel, merda, merda, merda… – Vários palavrões se seguiram. Lua foi até ele e colocou as mãos em seu rosto que foram logo afastadas.
– Por favor, Arthur, não faz assim. Entenda-me não te disse antes por medo…
– Medo dela? – perguntou incrédulo.
– Não, óbvio que não. Medo da reação de vocês, eu tinha acabado de conhecer sua família e você me pediu em namoro dias antes, não poderia fazer isso. Sem dúvidas iriam achar que eu estava fazendo intriga ou algo do tipo. – falou exasperada.
– Eles nunca pensariam isso.
– Eu sei, hoje eu vejo como fui ingênua e burra, perdoe-me. Mas não adianta estragar nossa lua de mel agora, isso tudo ficou no passado o que importa é o hoje. – disse chegando perto novamente e logo foi parada por ele, estava tremendamente arisco.

Ele fechou os olhos e colocou as mãos nas têmporas, massageando-as. Lua não se deu por vencida e caminhou até ele novamente deitando sua cabeça no peito musculoso.

– Vamos esquecer isso tudo, Arthur. – tirou as mãos deles de seu rosto. – Olha pra mim. – ele suspirou e abriu suas duas esmeraldas. – Não estrague tudo, vamos embora logo… Esqueça como eu esqueci. Junto com nosso casamento começou uma nova fase, bem diferente da anterior. – beijou seu rosto.

Arthur suspira, se senta na cadeira e Lua senta em seu colo. Ela espalma suas mãos em seu peito, o sentindo enrijecer sobre suas palmas. Ele a deita de em seu peito, onde ela se ajeita em suas costas, e repousa sua mão em sua barriga. Eles permanecem olhando pelos vidros transparentes da porta, observando a neve cair silenciosamente no quintal, formando o já tão conhecido tapete felpudo e gelado, ficam assim por longos minutos. Até que Lua suspira cansada.

– Eu não queria ir embora. Está tão bom aqui.
– É, eu também não, mas precisamos ir, você tem muitos show para fazer. Ray disse que seus fãs e a imprensa estão enlouquecidos por notícias suas e eu tenho que voltar ao trabalho. – beija seus cabelos. – E além disso você tem que fazer o pré-natal. – diz acariciando sua barriga suavemente.
– Tinha me esquecido disso. Você acha que é menino ou menina? – pergunta juntando sua mão na dele, acariciando a barriga inexistente.
– Menina. – diz sem hesitar ou pensar.
– Jura? – ele assente – Eu vejo uma menininha linda exatamente como você nos meus braços.
– Argh, não, eu quero que pareça com você. – diz se virando. – Com o seus olhos, seu nariz, sua boca e principalmente seu cabelo. – alisa cada parte falada. – Seria o bebê mais lindo do mundo. – Sorri lhe dando um selinho demorado. Arthur faz cara feia.
– Eu quero que seja como você. Mas nos resta esperar para ver, mas eu sei que será perfeita. Parecida com você ou comigo. – Lua assente sorridente.
– Já pensou em algum nome?
– Não, mas isso ainda tem tempo. – Lua levanta de seu colo e estende a mão para ele.
– Vamos dar um mergulho?
– Não sei... – diz olhando para seus seios. – A visão está muito melhor.

Lua ri e os tapa.

– Para de ser safado.
– Amor, o que é bonito e meu… Todo meu, tem que ser apreciado, ainda mais agora mais redondo e cheio que o normal. – diz com uma voz maliciosa piscando um olho e beijando um seio, sobre o pano fino. – Se você entrar nua eu entro.
– Arthur! – bate em seu peito.
– Minha condição. – faz um biquinho lindo. Lua cora, mas aceita.
– Eu tiro lá dentro. – aponta para a piscina.

Arthur levanta com um sorriso de orelha a orelha e tira sua bermuda e camisa, ficando nu. Lua dá um passo para trás e o observa, morde os lábios e solta um gemido rouco, vendo o membro já ereto apontando em sua direção, já pronto para a festa.

– Rita e Ricardo fizeram você com muito carinho, não? Capricharam na forma. – diz rindo e mordendo um dedo provocadoramente, Arthur estreita os olhos, quando vai em sua direção ela vira e mergulha na piscina, ele rosna e a observa emergir.
– Quer que eu tire agora? – pergunta sorridente, mas não espera sua resposta começa a tirar o short e o joga para o lado, começa a tirar a blusa e Arthur geme ao ver tão exposta.
– PQP! – passa a mão pelo cabelo.
– Não vem? – o chama com o dedo.

Ele rosna e mergulha, chegando rapidamente onde ela se encontra. Ele imerge colando o corpo de Lua na parede da piscina junto com o seu.

– Você adora me provocar não é? – pergunta mordendo seu pescoço.
– Eu? Nunca fiz isso, você que vê malícia em tudo. – responde arfante colocando sua cabeça para o lado, dando livre acesso do seu pescoço a Arthur, se preocupando mais com sua mão que aperta suas costas de encontro a ele, gemendo ao sentir seus seios sendo comprimidos em seu tórax. Ele desce seus lábios para seus seios, Lua joga a cabeça para trás gemendo seu nome, enquanto ele dava mordidas de leve e chupava habilidosamente.
– Arthur… Anda logo com isso. – pede não aguentando mais o fogo que se alastra por cada canto de sua pele, que é acariciada pelas mãos fortes ou por sua boca.

Arthur sorri e a penetra sem aviso algum, fazendo ambos gemerem descontrolados. Arthur começa a estocar com força em sua entrada úmida e apertada, fazendo com que formasse pequenas ondas na piscina em volta de ambos.

Ele aperta sua cintura e desce para suas coxas alisando o local. Lua se agarra mais nele, enlaçando suas pernas em volta de sua cintura.

– Amor…mais rápido.
– Como quiser.

Ele faz o que ela pediu começa a se movimentar com mais rapidez, fazendo seu membro sair e entrar com aspereza, castigando totalmente a entrada encharcada de Lua.

– Arthur – geme, colando sua boca na dele em um beijo feroz, quase violento tamanho era o desejos sentido naquele momento. Ela desliza suas unhas pelas suas costas, tendo o prazer de ouvi-lo rosnar alto.
– Caralho Lua... – Arthur estocava com tanta força que o corpo de Lua batia na borda da piscina, quando percebeu isso apoiou suas duas mãos ali impedindo o impacto direto de seu corpo. Continuou devastando cada canto na gruda de Lua que gemia descontrolada e ondulava mais seu corpo contra o dele, sentindo o como eles se encaixavam perfeitamente.
– Você é fodidamente gostosa, amor. – lhe sussurrou rouco em seu ouvido, Lua mordeu o lábio abafando um gemido ao ouvir sua voz sexy causando arrepios pelo seu corpo. Ela começou a cantarolar uma música, que veio em sua mente, ao pé do seu ouvido.

Faíscas voam – Taylor Swift

O jeito que você se move é como uma tempestade
E eu sou um castelo de cartas
Você fala o meu nome pela primeira vez, baby.
E eu me apaixono em um bar vazio.
Beijou seu rosto calmamente.
E você estava ali na minha frente apenas
Perto o bastante para tocar
Perto o bastante para esperar que você não pudesse ver
O que eu estava pensando.

Passou as mãos por todo seu cabelo sentindo a textura e maciez.

Largue tudo agora
Encontre-me na chuva torrencial
Beije-me na calçada
Leve embora dor

Ela levantou a cabeça de seu ombro e lhe encarou, deixando a música fluir por seus lábios.

E eu vejo, faíscas voam toda vez que você sorri
Conquiste-me com esses olhos castanhos, baby
Conforme as luzes se apagam
Algo que me assombrará quando
Você não estiver por perto

Arthur sorriu, ela se inclina e beija cada um de seus olhos, intensos e lindos, brilhando em sua direção.

Minha mente esquece-se de me lembrar
Que você é uma má ideia
Você me toca uma vez e é realmente algo

Olha de encontro a Arthur.

Porque você descobre que sou até melhor do que você
Imaginou que eu seria.

Arthur riu, ela começou a acariciar suas costas vagarosamente, sentidos seus músculos nas pontas de seus dedos.

Eu estou tomando conta de mim pelo resto do mundo
Mas com você eu sei que não é bom
Eu posso esperar pacientemente, mas queria que você fizesse

Arthur deita a cabeça em seu seio, fechando os olhos e aproveitando a canção que Lua cantava suavemente.

Eu passo meus dedos pelo seu cabelo
E assisto às luzes se apagarem
Mantenha os seus lindos olhos em mim

Ela levanta sua cabeça mantendo seus olhos conectados.

Vou marcar esse ponto hoje à noite
Leve-me escada acima
Você não vai sussurrar suave e lentamente?
Eu adoraria odiar isso
Mas você faz disso um show de fogos de artifícios

Arthur começa a gira-la calmamente na piscina, dançando e flutuando.

Largue tudo agora
Encontrar-me em uma chuva torrencial
Beije-me na calçada
Leve embora dor
Porque eu vejo, faíscas voam toda vez que você sorri
Conquiste-me com esses olhos castanhos, baby
Conforme as luzes se apagam
Algo que me assombrará quando você não estiver por perto
Porque eu vejo, faíscas voam toda vez que você sorri
Faíscas voam, querido sorri, faíscas voam

Arthur para de girá-la e a encara sorridente, lhe dá um beijo apaixonado nos lábios, antes de encher sua face com selinhos rápidos, fazendo Lua rir. O movimento que o riso provocou fez o membro de Arthur crescer em sua intimidade.

Ela mordeu seu pescoço e começou a se movimentar novamente, ali eles recomeçaram a dança sensual e prazerosa, tendo fim só ao amanhecer.

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.

O que estão achando da fanfic? Comente aí.         

Com mais de 10 comentários, próximo cap.

10 comentários:

  1. Amei!!!
    Que Fogo em LuAr...
    Arthur Safadão 😂😂

    ResponderExcluir
  2. Posta mais pelo amor de DEUSS...

    ResponderExcluir
  3. Acho que precisamos de um bombeiro para apagar o fogo desses dois

    ResponderExcluir
  4. O Arthur tem Q fazer alguma coisa pra parar a Alana

    ResponderExcluir
  5. ++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  6. Gente q fogo é esse ,posta mais

    ResponderExcluir