Uma Linda Mulher - 2ª TEMP. | CAP.80

|


Uma Linda Mulher - 2ª Temporada





Capítulo: 80

Lua – Meu Deus Lua… – levou a mão por debaixo dos olhos, onde estava escuro e fundo, sua boca desprovida de cor assim como suas bochechas, seus olhos estavam quase mais vermelhos do que o sangue em que corria em suas veias, tirou os cabelos do rosto os prendendo em um coque falso. Deu meia volta saindo do quarto, direto para o quarto de Linda, não havia ninguém, caminhou até seu quarto e nada, lá em baixo a cozinha e a sala estava silenciosa, ouviu barulho de piscina, abriu a porta da cozinha e lá estavam eles, a mesa de café estava posta na mesa central coberta por um guarda sol alto e branco. Gabriel estava na piscina, Nelita estava sentada a mesa tomado café, e em uma mesa alguns passos mais afastados em outro guarda sol estava Arthur, com Linda em seus braços sendo amamentada pela mamadeira de leite próprio para sua idade.
Gabriel – Olá, Bela adormecida… – os olhos se viraram para ela, Gabriel saiu da piscina com um sorriso nos lábios, e não teve como Lua não retribuir.
Lua – Olá, meu anjo protetor…
Nelita – Bom dia querida, sente se que está sendo obrigada a tomar um bom café. Está melhor Lua?
Lua – Estou Nelita, estou bem melhor… – fechou ainda mais o robbie. Gabriel pulou de volta na piscina, Nelita observou Arthur que não havia subido a mirada de Linda, havia algo errado, havia o visto por toda a manhã se corroer em culpa. Lua caminhou até ambos, observou Linda lhe acariciando os cabelos, Arthur a mirou, não estava tão diferente dela. Como se percebesse, ele se levantou, o leite estava terminado, depositou Linda nos braços da mãe, Lua a abraçou e reconhecendo de imediato os braços em que estava, como de costume Linda colocou a cabeça sobre os seios de Lua, colocando a mãozinha sobre o mesmo frente a seu rosto. Lua lhe alisou as orelhas. – Boa dia, meu amor… – lhe beijou a testa, Arthur virou se caminhando para dentro da casa, seu novo aparelho estava tocando. Lua o observou partir, sentou se no lugar que era ocupado por ele mirando Linda em seus braços.
Nelita – Há algo mais. Além de o mundo ter desabado, aconteceu algo mais… – Lua levantou a mirada observando Nelita que lhe trazia um suco de laranja. Bebeu de um vez só voltando a atenção para a filha. – O que houve menina? Tenho visto esse homem andar de uma lado para o outro como se tivesse perdido algo de si.
Lua – Ele perdeu mesmo, Nelita. Mais não sou eu que vou ajuda lo a encontrar. – negou com a cabeça, agora passando os dedos nas bochechas rosadas da filha. – Eu também perdi algo… – mordeu os lábios – Mais há coisas que eu preciso fazer antes de procurar qualquer coisa que tenha se perdido ou se partido. Meus filhos precisam de mim Lita. E eu estou aqui. O resto pode esperar…
Nelita – O resto que você fala é nada mais do que a outra parte do seu viver… – sorriu acariciando os cabelos de Lua – Vá tomar café, seus lábios perderam a cor. – Lua assentiu, se levantou caminhando até a mesa, as frutas já estavam picadas e um prato, deu um sorriso de agradecimento a Nelita, dando atenção a mais um dos saltos de Gabriel na piscina.
Lua – Parabéns filho, esse foi espetacular. Ele já comeu, Lita? Tomou o leite direitinho?
Nelita – Sim, tomou um bom café com o Arthur, Linda também está alimentada, apesar de que acho que quer mais uma cortesia da mamãe. – Lua sorriu, elogiou mais um dos saltos do filho, baixou a alça da camisola e Linda logo encontrou sua fonte principal de alimento.
-
Arthur abriu o celular após identificar o número…
Arthur – Não Micael, peça para ela ficar calma.
Micael – E acha que eu não pedi, o médico vai mante la aqui por mais duas horas. – suspirou – Eu nunca senti tanto pavor na minha vida Arthur… – apertou os olhos – De repente ela estava assistido televisão e desmaiou, teve um leve sangramento eu me apavorei, a peguei no colo com a roupa do corpo sai até o primeiro pronto socorro, gritei feito um louco até que alguém nos desse atenção. E Lua como está? – Arthur sentou se no sofá, abaixando a cabeça com os cotovelos debruçados nas coxas.
Arthur – Se a visse me diria que está a ponto de quebrar…
Micael – Eu imagino cara. Eu não vou negar que senti que se algo acontecesse, Sophia também seria envolvida, senti medo Arthur, medo e vontade de protege la. Quando acordou a primeira coisa que perguntou foi de Lua. Onde ela está, descobriram o nosso segredo? Diga a ela que estamos nessa juntas… – repetiu a palavra da doce loira que agora adormecia novamente.  – Só não vamos aí porque não quero que ela se exalte Arthur, de verdade.
Arthur – Eu sei Micael, não se abale cara, cuide da sua mulher.
Micael – A sua voz está esgotada…
Arthur – Eu estou esgotado. Completamente esgotado, em duas horas vou voltar para a capital e ver o estrago que fizeram na minha empresa. – negou com a cabeça – Reerguer tudo aquilo vai ser complicado, Micael.
Micael – Sócios me ligaram, pedindo para interceder por eles, dizendo que queriam de volta suas partes nas ações, com o tempo tudo se resolve.
Arthur – É o que eu espero. Mande Sô ficar calma que Lua está melhorando.
Micael – Ok, não diga nada da Sô se não ela vai fica ainda pior. –  Arthur concordou – Hey Arthur, tem certeza que você está bem?
Arthur – Não cara, eu não estou legal, mais tenho responsabilidades, meus filhos estão lá fora se eu desmoronar ou se a mãe deles soltar uma lágrima a mais, eles vão se assustar, sinto Lua pisando em ovos…
Micael – É eu posso imaginar…
Arthur – Não cara, você não pode, estou feito uma barata tonta nessa casa desde do primeiro raio de sol, sabe aquela sensação de impotência, um gosto amargo me sobe pela garganta e me revira o estomago e quando percebo estou tão perdido quando eu achava que poderia estar. Eu não sei como agir com Lua, quando a vejo esta a ponto de se partir ao meio.
Micael – Não Arthur, você sabe sim… – sua voz era forte, tentava passar confiança ao amigo. – Você sabe sim como agir com ela, não há ninguém nesse mundo que se conheça tão profundamente como vocês dois se conhecem.
Arthur – Ela não consegue me olhar nos olhos…
Micael – Sô, também não o faz quando quebramos o pau. Escute, a única diferença de nossas mulheres para as outras é que ela são únicas… – Arthur pela primeira vez sorriu – Impulsivas e ao mesmo tempo uma boneca de porcelana, você sabe o que aquele olhar está te implorando Arthur. Ela está negando mais precisa que você a pegue pelos pulsos e a abrace com força até que ela pare de te estapear. – Arthur fechou os olhos, havia feito isso. – Essas nossas mulheres são tão mulheres como qualquer outra mulher, a diferença é que são nossas. Quer dizer, a sua é sua, a minha é minha. Você entendeu…
Arthur – Sim, eu entendi Micael. – respirou fundo – Chay me ligou há meia hora, as ações se estabilizaram.
Micael – Bom. Fique aí cara, arrume esse caos eu tomo conta das coisas por aqui, já, já essa loira acorda e me bota para correr. – Arthur sorriu outra vez, se despediram e logo desligaram o telefone. A porta da cozinha se abriu, e logo Nelita e Gabriel passaram pela sala.
Gabriel – Vamos até a cidade pai, a mamãe disse que o Jonas vai nos levar.
Arthur – Ok filho, apenas obedeça a Nelita, e coloque uma camiseta. – Gabriel vestiu a camiseta de qualquer jeito correndo até a porta.
Gabriel – CUIDE DA MAMÃE E DA LINDA…
Nelita - Nós, demoraremos um pouquinho sabe? ­– Arthur assentiu entendendo a mensagem, a porta se bateu e o grito animado de Gabriel acuou na sala. Arthur se levantou com o coração tremulo e o estomago na boca. Caminhou até a cadeira frente onde Lua estava sentada mirando Linda mamar, a pequena mocinha queria mais do que comer, aquele leite quentinho e saudável que vinha diretamente de sua mãe. Ela subiu a mirada até ele, não disse nada, ficou assim por segundos.
Lua – Eu estava descontrolada ontem no quarto… - respirou fundo - Eu estava fora de mim quando fazia a sua mala. Eu… – suspirou perdendo a fala – Esqueça Arthur. Apenas pare de se culpar por algo que não fez sozinho, ok? Eu vou ser mais forte, você vai ser mais forte e assim vamos tocar para frente, ok? – se emocionou – As últimas 48 horas foram…Foram um pesadelo, um sonho ruim igual aos que o Gabriel tinha e acordava chorando e ia para a nossa cama de madrugada. É hora de você voltar para a capital e recolher seus pedaços, porque eu também preciso recolher os meus. Mais sem você… – engoliu o nó que se formava em sua garganta. – A Aguiar precisa de você, a Venturini precisa de você. É o nosso futuro, nosso ganha pão, vai lá e cale a boca de qualquer um que ousar falar que tudo foi por algo baixo, porque não foi Arthur. – negou com a cabeça – Temos saúde, força e vontade para botar tudo para cima de novo, foi uma tempestade…





Tudo é tão complicado pra esse casal...
Último de hoje, amores :(


QUERO COMENTÁRIOS!!!

13 comentários:

  1. Noss Sem Palavras nesse Capítulo, naum tenho q fala mais,só qeuro q isso passe logo pra eles e q eles consigam ser Felizes *---*

    ResponderExcluir
  2. Omg! Esses capítulos foram demais! Mt bom! Posta mais

    ResponderExcluir
  3. Quero mais! Eles são fortes o suficientes pra vencer

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus eles passam por cada coisa , tomara que tudo se acerte logo

    ResponderExcluir
  5. Rezando pra Tudo ficar bem entre eles���� A gente tambem ta sofrendo junto com eles������....
    Amo de Mais❤️��

    ResponderExcluir
  6. Caramba... que sofrimento
    Julia

    ResponderExcluir
  7. Tomara que eles suprem isso
    Já quero o próximo

    ResponderExcluir