Milagres do Amor - Cap. 29º

|

Milagres do Amor
Paixão inflamável | Parte 1

Pov Narrador

Lua estava agora tomando banho quando uma certa baixinha de cabelos espetados entra histérica no quarto.

– Maninho, cadê a Luita? – pergunta para Arthur que estava na frente do notebook.
– Banho.

Ela entra no banheiro e começa a tagarelar para Lua.

– Cunhadinha, hoje nós vamos passar a tarde fora.
– Por quê? – pergunta Lua colocando a cabeça para fora do boxe.
– Como por quê? Hoje é a festa e nós vamos ficar lindas, vamos passar a tarde inteira no shopping e salão de beleza.
– Mel... – choraminga.
– Nem tem mais nem menos, nós vamos e ponto final – sai batendo a porta. – Maninho onde ficam as roupas da Lua?
– Procura você no closet – diz sisudo.
– Argh – entra no enorme closet e procura uma roupa decente para Lua vestir.
– O que você está fuçando ai mula? – grita sem sair do lugar.
– Olha ainda bem que você escolheu uma namorada linda e com senso de moda, aqui só tem roupa divina – diz fugindo da pergunta.
– Minha namorada é perfeita – diz metido. Entra no banheiro e deixa em cima do balcão, tirando as que ela tinha escolhido.
– Arthur passa o cartão. – diz sorridente.
– O que? – ergue uma sobrancelha.

Mel ri e sai do banheiro com a roupa escolhida para Lua vestir. Uma blusa rosa com um leão na frente e uma calça Jeans clara. – Como você quer que ficamos mais lindas ainda? E como vamos pagar o salão, o vestido, maquiagem, seu terno e do Chay? – diz contando nos dedos.
– Tudo bem – responde levantando e pegando sua carteira, e lhe entrega o cartão.
– Isso ai maninho, você é demais.

Lua sai do banheiro penteando os cabelos.

– Isso ai ficou lindo. Agora anda logo que temos hora marcada.
– Tudo bem, já estou indo.

Senta e causa os sapatos.

– Quanto tempo vocês vão demorar? – pergunta Arthur.
– Acho que só chegaremos na hora certa para a festa.
– O que? Ficou louca Melanie, são dez horas da manhã. – diz irritado.
– Eu sei. E não fica assim, é só um dia que você vai ficar sem ela e depois ela é toda sua – diz sorrindo e piscando pra ele.
– Você ainda vai me pagar por isso sua mula. – diz sentando na cama.
– Você que ainda vai me agradecer, maninho lindo.

Sai puxando Lua pelo braço.

– Ei espera, tenho que me despedir ainda. – grita Arthur atrás delas.
– Rápido, eu e Ray vamos esperar no carro. – diz e sai.

Arthur puxa Lua e lhe dá um beijo, tipo desentupidor de pia.

– Já estou com saudades. – diz Arthur entre os beijos.
– Eu também. – responde Lua enfiando mais as mãos em seus cabelos. – Mas logo nos veremos.

Eles voltam a se beijar, quando são interrompidos por um grito estridente vindo da sala de estar.

– Luaaaaaaaaaaaaaaaaa – Mel esgoela.
– Vai se fo... – Arthur vai xinga-la quando é interrompido por um beijo de língua de Lua.
– É melhor eu descer. Ela vai subir aqui se eu demorar mais. – diz entre selinhos, Arthur assente e descem.

Encontrando Mel sentada em um sofá e Rayana e Chay quase abraçados um no outro.

– Oi Ray – a cumprimenta.
– Oi Lua, vamos que você tem muito que fazer hoje e ficar mais linda se possível. – a puxa dos braços de Arthur.
– Vocês só inventam – diz corando.
– Não sou eu quem vai ser a estrela da festa mais badalada da noite. – responde lhe lançando um sorriso.

Lua choraminga e é puxada para porta afora, onde é esperada por Louise que mantém a porta do carro aberta.

– Tchau amor – diz se desvencilhando do aperto de Rayana e dando um selinho demorado em Arthur.
– Já chega – Mel a puxa – Vocês são difíceis em, parece chiclete.
– Parece? – diz rindo Chay, que estava ocupado demais lançando sorrisos para Rayana para se intrometer antes.
– Ok, olha vocês dois, eu vou mandar entregar o terno de vocês, estejam prontos quando eu chegar estão me ouvindo? Nada de álcool, somente na festa. E Arthur arruma um jeito com esse cabelo.
– Sim senhora – diz Chay e Arthur em uníssono.

Elas entram no carro e seguem para um dia longo de compras e salão.

Elas chegam a uma loja grande e luxuosa, uma vendedora aparentemente simpática as atende e mostra roupas e sapatos.

– Acho que este vestido está perfeito pra você chegar à festa Lua – diz Mel mostrando um vestido lindo para ela.
– Esse está perfeito. – palpita Rayana.
– Como assim para chegar à festa? – pergunta confusa.
– Você vai chegar com um, vai trocar para se apresentar e trocar novamente para jantar com meu irmão.
– Vocês estão loucas? Pra que tanta troca de roupa? – pergunta espantada.
– Não reclama, que eu sei que sua noite vai ser maravilhosa – diz Mel maliciosa, fazendo Lua corar.
– Epa, ela corou? Então a coisa é boa, me conta – pede Ray sorridente.
– É que… Eu – gagueja e não consegue falar.
– Deixa que eu falo. Bom, ela vai passar a noite com meu irmão – interfere Mel sorridente.
– Uau, mas que beleza – ri Ray – Mas por que tanta vergonha? Até parece que nunca dormiu com homem nenhum.
– Eu nunca dormi – diz olhando para seus pés.
– OMG! Sério, mas isso é lindo Lua, você vai se entregar para o homem que ama, perfeito. – diz Ray maravilhada.
– Também acho, quem dera eu ter perdido minha virgindade com o Bernardo – diz Mel com os olhos brilhando.
– Acho que alguém está apaixonada aqui – diz Lua sorridente.
– Nós somos três apaixonadas – responde Rayana. – Eu pelo Chay, você pelo Arthur e Mel por Bernardo.
– Sem dúvidas – responde Mel. – Sabe o Bernardo me convidou para ir com ele a festa de hoje e depois irmos a um outro lugar.
– Vamos fazer muito sexo hoje – diz Ray entusiasmada, soldando uma de suas risadas escandalosas. Não se importando com outras mulheres que ali passavam.
– Vocês também? – pergunta Lua confusa.
– Mas é claro Luazinha, temos que experimentar para saber se é o homem certo. – responde Mel histérica.
– Eu não preciso experimentar nada para saber que o Arthur é o homem da minha vida – diz com um olhar apaixonado.
– Awn que fofa – Ray a abraça carinhosamente – Logo teremos casamento hein Mel.
– Sem dúvidas, Ray. Agora vamos para te papo e acabar de comprar que temo que ir ao salão para nos depilar.
– Eu odeio me depilar. – responde Lua fazendo bico.
– É uma dor necessária, os homens ficam loucos. – responde Ray maliciosa.
– Verdade. Falar nisso, Lua você usa pílula?
– Sim, desde os meus doze anos.
– Mas como? Você não é virgem? – pergunta Ray confusa.
– Sim, mas não serve só para evitar gravidez, minha TPM é muito forte, então meu médico me recomendou.
– Que bom, ainda não tenho idade para ser titia – diz Mel rindo.

Elas cessam o papo acabam de comprar os vestidos, sapatos, joias necessárias e vão para o salão.

Após horas elas finalmente estão prontas.

Lua está com um vestido até as coxas meio salmão, salto alto preto, seu  cabelo preso em um coque firme, preso para trás com uma fita brilhante, deixando solta a franja lisa.

Chegam à mansão de Arthur e entram na sala.

Arthur e Chay já vestidos com seus respectivos ternos, abrem a boca para tanta perfeição, Arthur vai em direção a Lua, com um olhar de admiração e amor, Chay vai para o lado de Ray com um olhar selvagem e conquistador.

– Está linda amor – diz Arthur abrindo seu sorriso torto para Lua.
– Obrigada… Você também está um gato – diz mexendo na gola de sua camisa.
– Eu sei que eu sobrei aqui, mas nada de beijos se não vão borrar a maquiagem – diz Mel emburrada.
– Senhor Aguiar, visita na porta – diz Ruth entrando na sala.
– Mande entrar Ruth – diz indiferente, concentrado demais em Lua.

Minutos depois entra Bernardo com um ar temeroso mais decidido.

– Bernardo?
– Sim Arthur, vim aqui tomar coragem e pedir a mão de sua irmã em namoro. – diz tenso, soltando tudo de uma vez.
– Você só pode estar brincando comigo – diz travando o maxilar e lhe lançando um olhar mortal.
– Desde o momento que eu vi sua irmã eu não consigo tirá-la da minha mente. – diz encarando Mel que está radiante.
– Eu te falei para ficar longe dela, Falcone – cospe fogo em sua direção.
– Mas eu me apaixonei.
– Ah, vai contar lorota pra outro, vocês se conhecem a menos de uma semana.
– Não há tempo para o amor Arthur.

Arthur perde a paciência e parte pra cima de Bernardo, mas Lua para na frente com as mãos em seu peito, o impedindo de avançar.

– Arthur espera, ele está te pedindo não precisar agir assim.
– Lua, ele só quer saliência com minha irmã, eu vou partir a cara dele – diz possesso.
– Tipo a que você está fazendo comigo? – pergunta com a sobrancelha erguida.
– É diferente, eu te amo.
– E como você sabe que ele não ama sua irmã? – Arthur bufa e passa as mãos pelo cabelo, antes no lugar – Ele teve coragem de vir aqui e te enfrentar isso é mais que uma prova de amor. – diz acariciando seu rosto.
– É isso que ele veio fazer me enfrentar.
– Se eu tivesse um irmão você não lutaria por mim?
– Mas é obvio, só que…
– Só que nada, Mel não vai ficar sozinha pra sempre, se não for com Bernardo pode ser com outro, ele pelo menos você conhece, é seu amigo. Dê uma chance a ele. – pede com os olhinhos brilhantes.

Arthur fecha os olhos e aperta o nariz.

– Ok, mas você não vai enrolar ela não, já estou te avisando. Vai ter que casar, e se por acaso fazê-la sofrer eu corto seu pinto fora. – diz ameaçadoramente, apontando o dedo em seu rosto.

Bernardo engole em seco, mas vai para o lado de Mel, pega sua mão e beija.

– Se ela me quiser, fico com ela para sempre.

Mel ri e agarra o pescoço dele em um beijo apaixonado.

Arthur vai para interromper, mas Lua o agarra e cola sua boca na dele.  Após o momento beijos e mais beijos. Os casais se separam e estão pronto para ir à festa. Arthur deixa todos saírem e pega no braço de Lua.

– O que foi? – pergunta confusa

Ele a leva até um espelho grande e a vira pra ele, ficando em suas costas, pega um colar lindo e coloca em seu pescoço.

– Oh – Lua fica surpresa – É lindo.

Diz colocando sua mão no colar, é um brilhante lindo, com seu apelido: Lu.

– Deve ter sido caro amor. – diz com os olhos cheios de lágrimas.
– Nenhum presente é mais valioso que você Lua – diz abraçando-a por trás e beijando seu pescoço.

Ela se vira e o enlaça pelo pescoço.

– Obrigada, Arthur!
– Gostou?
– Aham.

Ele cola seus lábios nos dela, dando um beijo calmo e suave.

– Agora vamos que se não a baixinha vai entra bufando.

Chegaram depois de minutos a um clube privado lindo e gigantesco, tudo estava bem decorado e bonito.

Pessoas bem vestidas andavam de um lado para o outro, sendo acompanhadas por fotógrafos, na verdade centenas deles, parecendo à espera de alguém, sempre olhando em volta para os carros que ali paravam.

– É, vai começar a chatice – disse Arthur brevemente de dentro da limusine. – Louise, manda alguns dos empregados trazerem um dos meus carros.
– Sim senhor.

Arthur sai do carro e os flashes piscam incansavelmente em sua direção, ele pega a mão de Lua e ela saiu do carro, assim faz os outros.

– Senhor Aguiar, por favor – implora um deles – É sua namorada?
– Como se sente sabendo que vai ganhar mais uma insígnia? – pergunta outro.

Arthur nem dá atenção, abraça Lua e se desvencilha dos abutres, assim entrando no clube. O lugar está decorado todo em preto e branco, bem iluminado, flores enfeitam encima da mesa, e a toalha negra dar um ar sofisticado para o local, que se encontrava cheio.

Continua...


Se leu, comente! Não custa nada.


Com 10 comentários, novo post.

16 comentários: