Sentimentos traiçoeiros - O Arthur?

|


Lua

- E onde está o desgraçado? - Dianna perguntou.
- O teu irmão já saiu com o dinheiro. Meu querido dinheiro. 
- Mas ao menos beijas-te... - Arthur tentou me animar.
- Sinceramente preferia não ter beijado. 
- Temos outra má notícia... - Dianna coçou a cabeça - O Edward partiu uma jarra da coleção da tua mãe da...
- POR FAVOR DIZ-ME QUE NÃO FOI DA VISTA ALEGRE?
- Foi da Vista Alegre Lua... lamento. - Arthur baixou o rosto.
- SOCORRO, ESTE É SIMPLESMENTE O PIOR DIA DA MINHA VIDA! - Gritei.

     Aquele dia tinha mesmo sido o pior de sempre. O beijo correu mal e fiquei com essa mania na cabeça durante dias. Perdi o meu dinheiro para o Matheus comprar o seu skate devido ao meu "favor" e ainda fiquei de castigo, sem computador, por não ter cuidado dos meus irmãos como deve de ser fazendo com que partissem a peça preciosa da coleção da minha mãe.
     Aquele dia não foi uma sexta feira 13, mas foi parecida. Ou até pior.

[...]

     Desta vez fomos para o shopping. Era domingo e os meus pais deixaram-me sair. 
     Fui almoçar com a Dianna ao Mac e depois fomos à casa de banho.

- Esquece Dianna. Eu continuo virgem. O teu irmão foi péssimo, sinto-me horrível. - Dizia em frente ao espelho da casa de banho pública do shopping. Nisto, uma mulher saí das wc e olha para nós de um jeito estranho. Dianna ri. - Foda-se! - Suspirei. 
- Eu não sabia que ele beijava mal. Ele é meu irmão, certo?
- Sim, eu sei que não tens culpa. Mas que tal sairmos para um festa e tal, de modo a conheceres alguém e a curtires de uma vez?
- Mas como? Eu não sei beijar. Preciso de alguém que eu conheça e que me ensine a beijar.

     Fez-se um breve minuto de silêncio.

- Que tal o Arthur? - Dianna deu a ideia. - É claro! O Arthur! - Dianna disse como se fosse óbvio. - O Arthur vai tirar-te de uma vez a virgindade. - Ouvimos uma descarga. Desta vez uma rapariga saiu da wc também a olhar para nós chocada. - Ok, estará aqui mais alguém?
- Não quero saber. - Suspirei. - Vamos embora.

     A caminho da saída do shopping, eu ainda pensava no que ela tinha dito.

- O Arthur? - Perguntei mais uma vez.
- Sim, vocês conhecem-se bem. Era ótimo para ele que assim esquecia a ex-namorada pindérica e ótimo para ti que te ias sentir à vontade e aprender a beijar. 
- Eu não sei... tenho vergonha.
- Vergonha? Por favor! Lembraste daquele acampamento no ano passado? Vocês dormiram juntos. 
- Mas isso é diferente. Somos amigos.
- E vão continuar a ser. Só vão dar um beijo, coisa de meia hora no máximo. Não vão casar! - Dianna suspirou. - A sério Lua, fala com ele.

     Passei a noite a matutar naquilo. Não saia mesmo da minha cabeça. 
     O Thiago e o Edward vieram para o meu quarto a chorar. Normalmente eu toco piano para eles, mas hoje não me apetece. Sinto-me estranha.

- Queria ser como vocês. - Thiago olhou para mim com os olhos a brilhar, ou seja, cobertos de lágrimas. - Queria ser bebé e não ter de pensar nestas coisas. Não ter este desejo de deixar de ser bv para não me sentir inferior aos outros. Vocês são bebés, ainda não entendem. Vocês só querem comer, dormir e fralda trocada. E eu só queria um rapaz que me beijasse. - Suspirei.

     Os dias têm sido feitos de suspiros.



Desculpa não ter ido com vocês naquele dia. O meu avô fez anos. A Dianna disse que querias falar comigo, do que se trata? - Arthur.



     Merda! Maldita Dianna. O que digo?



Não é propriamente uma cena que deva ser dita por telemóvel... foi uma ideia parva da Dianna. Não ligues... - Lua.

Eu não achei a ideia parva! E sim, eu já sei o que é, ela contou-me porque disse que não ias ter coragem. - Arthur



     Mil vezes merda!

Mas Arthur, não vai ser awkward? - Lua

Não. Conhecemo-nos à tanto tempo. Será porreiro e eu sei beijar bem ahaha - Arthur.

Está bem, Thur. Vou confiar em ti. Quando começamos? - Lua

Amanhã! Na minha casa às 10h, pode ser? - Arthur

Combinado! Obrigada babe. - Lua




     Não poderia estar mais feliz. Feliz e nervosa. Em breve vou saber como beijar e tocar num rapaz. Vou saber o que dizer e quando dizer.

     Era 00:07. As mensagens do Arthur tiraram-me o sono por completo. Que posso eu fazer?
Comecei a pensar na roupa para levar e principalmente na desculpa que vou dar à minha mãe de modo a não ter de ir para a casa da minha avó com os meus irmãos. Ela é adorável, mas isto é mesmo importante.



Notas finais:
A fic está assim tão terrível? Não vejo quase nenhum comentário :(

11 comentários:

  1. Eu tô gostando muito, não estava conseguindo comentar, mais agr tô conseguindo, tá muito bom mesmo, já quero o próximo.

    ResponderExcluir
  2. Mais, a fic estas sendo ótima...

    ResponderExcluir
  3. Por favor essa fic agora é minha vida posta mais um capítulo hj pf

    ResponderExcluir
  4. Muito bom continua plis

    ResponderExcluir
  5. Ansiosa por mais posta " little anie" "milagres do amor" e essa "sentimentos traiçoeiros" hj por favor quero mais delas hoje

    ResponderExcluir
  6. Claro que não, é ótima ! Pode posta mais .

    ResponderExcluir
  7. Está bem legal! Posta mais dessas três webs

    ResponderExcluir
  8. Oq é Parva e awkward Cris? N compreendi
    Esta otima , continue a postar !

    ResponderExcluir
  9. Oxe que isso Cris ta divina a web *---*
    Ja quero saber o que vai dar esse beijo de Lua e Arthur u.u
    Postaaa mais *----*

    ResponderExcluir