Peça-me o que quiser ou deixe-me - 3º temp. - 109º,110º,111º e 112º Capítulo (Adaptada)

|

Capítulo 109:
Meu coração bate à mil. Vai ter um enfarto, e quando Arthur voltar vou estar mais dura do que ovos no chão do banheiro.
Penso na margem de erro que tem o teste. Mesmo que quatro me gritem “está grávida!”, me faz duvidar.
Sinto-me enjoada...
Tudo gira...
Volto a deitar no chão e subo os pés no lavabo.
Por quê? Por que tem que acontecer isto comigo?
No instante, toca meu celular. Tiro ele do bolso e vejo que é Arthur.
O pai da criatura!
Uff..., que nervo!
Estou com calor, me abano com as mãos.
Não quero que ele me ache estranha e, depois de seis toques, atendo do jeito mais animada que eu consigo.
- Oi, meu amor.
- Como você sai da casa sem o celular? Quer me deixar louco? – pergunta com a voz tensa.
Não estou para tensão e respondo:
- Primeiro: não grite comigo.
- Segundo: eu esqueci.
- E terceiro: se me liga para ser um chantagista, se prepara porque eu também posso ser.
Silencio. Ninguém diz nada, até que insiste:
- Onde você estava, Lu?
- Eu fui comprar umas coisas e acabei dando um passeio, porq...
- Um passeio muito grande, não acha? – me corta. E insiste:
- Sozinha ou acompanhada?
- Onde quer chegar com isso?
- Sozinha ou acompanhada? – Sobe o ton de voz. Seu mal humor me dói. Me quebra.
O que há? Antes que eu possa protestar a comunicação é cortada.
Como uma boba fico olhando o telefone.
Ele me cortou?
O idiota desligou o telefone?
Furiosa, digito seu número. Este vai saber o que é gritar. Mas quando toca, desliga sem atender. Isso me enraivece. Eu tento três vezes mais, mas acontece o mesmo.
Estou histérica, nervosa e para piorar, grávida!
Se eu pego Arthur neste momento, o mato!
Não sei o que fazer, no final decido nadar. Eu preciso.
Ponho o maiô e, quando chego a borda da piscina, o estomago embrulha e saio correndo ao banheiro.
Quando Flynn chega, estou sentada na borda, e totalmente distraída. O menino me abraça por trás e me beija a testa. Encantada com esta demonstração de afeto que preciso fecho meus olhos e murmuro:
- Obrigada, querido. Eu precisava disto.
Eu creio que ele é muito esperto, senta-se ao meu lado, me olha e pergunta:
- O que discutiu com meu tio?
Sem muito humor, respondo:
- Não, céus! Seu tio está em Londres e é difícil discutir com ele.
O pequeno me olha, concorda e não responde. Tira suas próprias conclusões. No momento, meu estomago ronca, me olhando assustado Flynn pergunta:
- O que você tem aí dentro, um ET?
Nesse instante solto uma risada que não consigo parar.
Tudo volta a ser surreal.
Estou grávida e Arthur, o homem que deveria estar ao meu lado, beijando-me como um louco porque vai ser pai, está me cansando.
Convencida de que isto não pode piorar mais, digo:
- Vamos comer se não devoro você agora mesmo!
De noite, quando Flynn vai dormir, volto a ficar sozinha na minha imensa sala, acompanhada de Susto. Faço um sinal e ele sobe na cadeira. Agora que Arthur não está aqui, ele aproveita.
Telefono para o Arthur. Ele não me atende. Por que ele está tão transtornado? Ligo a TV fico assistindo por um tempo, com a necessidade de contar a alguém o que está acontecendo comigo, passo a mão em Susto, que levanta sua cabeça, me olha e digo:
- Estou grávida, Susto. Vamos ter um pequeno Blanco Aguiar.

O animal parece entender e, deitando-se novamente, tapa seus olhos com uma de suas patas. Isso me faz rir. Até ele sabe que isso é uma loucura.

Capítulo 110:
Já são vinte e três horas e vejo que Arthur nem me ligou, decido subir para meu quarto. Estou me arrastando. No banheiro escovo meus dentes e vejo a carteira de cigarros. A jogo fora no lixo justo no momento em que o celular toca. Arthur, até que enfim!
- Oi, querido – o saúdo, sem intenção de discutir. Dá pra ouvir muito barulho ao fundo e por fim diz:
- Quando você pensava em me contar?
Surpreendida, sento no banheiro. Olho ao redor a procura de uma câmera escondida. Ele sabe que estou grávida? Pergunto:
- O que?
- Você sabe bem, mas muito bem...
- Não, eu não sei...
- Você sabe! – grita.
Desconcertada, franzo a testa. Se ele estivesse falando da gravidez ele não estaria assim tão contrariado. Arthur bebeu isso me deixa impressionada. É a primeira vez que ele está bêbado e isso me preocupa.
- Onde você está, Arthur?
- Tomando uma.
- Está com Amanda?
Ele ri. Não gosto da sua risada, e me responde:
- Não, Amanda não está comigo. Estou sozinho.
- Vamos ver, Arthur – digo, sem levantar a voz - Pode me explicar o que está acontecendo? Não estou entendendo nada e ...
- Você tem visto Bjorn?
- Como?!
- Não se faça de inocente, querida, que te conheço bem.
- Mas? O que está acontecendo com você? – grito, desesperada.
- Não sei como não me dei conta disso tudo antes. – sobe a voz. –Meu melhor amigo e minha mulher, juntos!
Ele ta ficando louco? Além de bêbado, louco! Do nada a ligação cai.
Sem entender nada do que me disse, ligo para ele. Ele não me atende. Embrulha meu estomago de nervoso e no final é o que acontece e me dou por vencida.
Esta noite não consigo dormir. Só queria saber se ele está bem. Fico preocupada por ele estar tão bêbado e que possa acontecer-lhe algo ruim, mas por mais que eu ligue, ele nem me atende. Mando várias mensagens. Sei que ele nem vai ver, e nada nem manda uma mensagem contestando-me.
Penso em Bjorn. Deveria ligar e contar a ele o que está acontecendo? Decido que não. Já são cinco horas da manhã e acredito que ele ainda esteja dormindo.
São seis e meia, passei uma noite horrorosa sem conseguir falar com Arthur, quando Simona entra na cozinha, se assusta a me ver.

- Mas, o que faz em pé tão cedo?

Capítulo 111:
Meu semblante muda e desato a chorar. A mulher se desfaz. Senta-se ao meu lado e, como uma mãe seca minhas lágrimas com um lenço enquanto eu falo e falo, e Simona não entende nada. Quando em fim consigo ficar mais tranquila, omito a gravidez, mas a conto o que aconteceu com Arthur. Ela está transtornada. Sabe que adoro, quero e gosto do meu alemão como ninguém, e sabe que Bjorn é somente um bom amigo de nós dois.
Às oito ela acorda Flynn, e às 8:30 quando o pequeno entra na cozinha com ela e vê meu estado deplorável, sentando-se ao meu lado, pergunta:
- Você discutiu com o tio, não é?
Desta vez concordo, não tenho por que mentir. E nos surpreendendo ele diz:
- Tenho certeza que meu tio não tem razão alguma.
- Flynn...
- Você é muito boa mamãe – insiste.
Com cara de choro volta a desabar em prantos. Ele me chamou de mamãe. Agora não tem quem me faça parar de chorar. No final depois que Simona serve o café a Flynn e Norbert chega para levá-lo ao colégio, decido ir junto. Tomar um ar me fará bem.
No caminho, meu pequeno alemão coreano aperta minha mão e não a solta. Como sempre, isso me dá força e, ele me dá um beijo antes de sair do carro, para que ninguém o veja fazendo isso, acho engraçado. Quando ele sai, peço a Norbert que espero um minuto e saio do veículo. Preciso que me dê algum espaço.
Pego um cartão da bolsa e começo a olhá-lo, decido ligar para o número. O médico me dá o telefone de uma ginecologista particular. Consigo marcar uma consulta com ela para o dia seguinte. O bom de ter dinheiro é isso, que se conseguem as coisas mais fáceis. Igualzinho o Seguro social da Espanha. Maria minha nova amiga espanhola, a me ver, vem até mim e, ao reparar no estado das minhas olheiras, pergunta:
- Você está bem, Lua?
Concordo e sorrio.
Não sou uma pessoa que sai contando seus problemas para todo mundo.
Mas nesse momento vejo em seus olhos algo estranho e pergunto:
- O que está acontecendo?
Ela suspira. Fica em dúvida, mas finalmente cede ao meu olhar.
- É difícil lhe dizer o que eu preciso, mas se não o faço não conseguirei dormir tranqüila. – Surpreendida. Olho para ela, e ela apontando as “papagaias”, que está há alguns metros de nós, diz:
- Suas amigas, estas que gostam tanto de você, estão te difamando, estão dizendo coisas terríveis de você.
- De mim? Mas se nem me conhecem!
Maria concorda e gesticula, e eu pergunto:
- O que está acontecendo? Conta-me.
- Dizem que você está tendo um caso com um amigo de seu marido. Um tal de Bjorn.
A terra treme em meus pés e de imediato me vem a cabeça uma música de Alejandro Sanz que eu tanto gosto e que diz:
Y alo vês, que no hay dos sin três
O que está acontecendo?
Estou grávida. Arthur acredita que estou tendo um caso com Bjorn e agora também no colégio de Flynn estão achando isso.
Tremo...
Estou apavorada...

Não estou entendendo nada do que está acontecendo. 

Capítulo 112:


- Além disso – prossegue Maria - zombam porque você era secretária do Arthur e, bem..., imagine os comentários que fazem a respeito.
Boquiaberta e transpassada, concordo.
- Realmente, eu trabalhava para a empresa do Arthur, mas...mas eu não estou enganando o meu marido, nem com Bjorn, nem com ninguém. Acabei de me casar, faz 4 meses, amo o Arthur e sou feliz e... e...
Maria me abraça e eu fecho meus olhos. Estou com os nervos a flor da pele, quando vejo que as “papagaias” nos olham e sorriam. Que cadelas! E então meu sangue espanhol ferve e me põe como um tsunami, pergunto:
- Desde quando corre esta fofoca?
- À mim chegou ontem.
- E foram estas “papagaias”, não é?
Maria concorda. Eu levanto a cabeça e como sempre, sem pensar duas vezes, vou até elas. Achei que havia deixado claro quem eu era, mas como vejo, elas não se tocaram, então irei deixar mais claro para elas.
Eu não me importo se pareço um cafetão. Não me importo se sou pior. Não me importo com nada, exceto que digam mentiras a meu respeito.
Quando estou próxima da “papagaia” número um, a mulher de Joshua, sem me preocupar vou até ela e, ficando frente a frente, enquanto vejo pelo canto dos meus olhos que Norbert sai do carro e vem até mim, silvo:
- Não gosto de você e sei que é recíproco, isso nós duas já sabemos, não é? - Ela nem se meche, está com medo. - Pois prefiro que você goste menos ainda de mim do que saia espalhando mentiras a meu respeito. No entanto, se não quer ter um problemão comigo, diga-me quem é a filha da mãe que está inventando tudo isto sobre mim, ou eu te juro que hoje mesmo ficará sem os seus dentes.
- Lua – sussurra Maria, nervosa.
A “papagaia” mãe fica vermelha como um tomate. Suas amiguinhas se afastam, elas a abandonaram. Tchau amigas!
Ao ver que está sozinha, ela tenta se safar de mim, mas eu não permito. A agarro pelo braço com força e exijo que fale:
- Eu disse para que me digas quem está contando estas mentiras.
Assustada e tremendo, me olha, e responde:
- A ... a jovem que vem de vez em quando buscar o chinesinho.
Fecho meus olhos: Laila!
O Sangue me sobe a cabeça e de imediato entendo tudo. Laila também deve ter contaminado a Arthur com suas mentiras em Londres. Abro os olhos e, com a fúria refletida em meu rosto, silvo:
- Meu filho tem nome, se chama Flynn. – E, soltando-a com força, grito - Te digo pela última vez, não é chinês! E para sua informação, sim eu trabalhava para a empresa do meu marido e, não, não estou tendo um caso com Bjorn, e espero que a fofoca que você espalhou se acabe ou te juro que vou fazer a sua vida impossível, porque não deixo passar nada quando a mim alguém aborrece entendido?
- Senhora Aguiar, o que está acontecendo? – intervém Norbert.
O grupo de papagais saem rapidamente apavoradas.
Ao ponto de desmaiar, olho para a pobre Maria e digo:
- Obrigada por me contar, Maria. Nos vemos em breve.
Depois olho para Norbert, que paralisado me observa, e o digo quase tendo um troço:

- Leve-me para casa. Não estou nada bem.

23 comentários:

  1. Ninguém merece né. Qnd eu penso que vai ficar boa, aí aquela cobra aparece d Novo

    ResponderExcluir
  2. Pqp aquela laila não cansa nao?! Peloamorrrr

    ResponderExcluir
  3. Aff tadinha de Lua .... Essa Laila eh uma peste e o idiota do Arthur ainda acredita .. Que odioo!!!posta maissssss!!

    ResponderExcluir
  4. Agora Arthur trai a lua e ela vai pra casa dos país grávida ....e sempre assim que acontece... Vê se muda aí pra nos pq sempre a mesma coisa cansa ....sempre a lua tem q se dar mal ...sempre e o Arthur q faz as besteiras que trai e depois quem sofre e a lua.....muda aí por favor ne?... Espero que não seja isso q vai acontecer...
    A web ta boa mais pode ficar melhor ainda....se não repetir a mesmice de sempre.. Faz essa Laila pagar por tudo q ela fez...mais pelo amor d qualquer coisa não faz a burrada d o Arthur trair a lua n e depois dizer q arrependeu
    Posta mais... Hoje ainda por favor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida isso é um livro ela só adaptou.

      Excluir
    2. Meu querido ou querida sei lá ....eu sei q e um livro mais c ela quiser ela pode mudar... Algumas coisinhas não precisa ser igual ao livro nao

      Excluir
    3. Se acalme kkkkkk ela não muda ja ta 3 temporada e é praticamente o resumo do livro

      Excluir
  5. Nossa cara que raiva dessas "papagaias". Agora que finalmente a Lua ia dar o que Arthur mais queria vai dar briga ;( Postaa maiis logo a ansiedade corre em minhas veias...

    ResponderExcluir
  6. Essa Laila é uma peste, mas concordo cm o anonimo, muda um pouco, n faz ele trair ela e ela ir pra casa do pai e ele ficar rastejando dias ate ela perdoar. Estou adorando a web, se dee, posta mais hoje.

    by: Naat

    ResponderExcluir
  7. Tudo culpa dessa Laila sem noção foi embora mais deixou a sementinha do mal filha da mãe e Arthur idiota kk maisssss curiosa

    ResponderExcluir
  8. porra Lua vai pirar kkkkkkk

    ResponderExcluir
  9. meu Deus curiosa aiiiiiiiiiiiiiposta hoje por favor?

    ResponderExcluir
  10. Meuuuu Deussss, tadinha da Luu, que vadias, preciso de maisssss

    ResponderExcluir
  11. Meu Deus acho que ela não vai postar hoje feriado :/ mais nem avisou agente ansiosa curiosa :)

    ResponderExcluir
  12. Omg cadê você eu necessito de maiis amore... Pooooooooossssstttttaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  13. Não vai postar hj não?

    ResponderExcluir
  14. Curiosaaaaaaaaaaaaaa d++++++++++++++, quero o proximo capitulo já

    ResponderExcluir