Peça-me o que quiser ou deixe-me - 3º temp. - 105º,106º,107º e 108º Capítulo (Adaptada)

|

Capítulo 105:


Na manhã seguinte, logo que abro os olhos eu sinto uma incontrolável vontade de vomitar.
Eu corro para o banheiro e chego a tempo de não fazer um estrago pior.
Apanhei definitivamente a gripe de Flynn.
Com o estômago destruído e garganta dolorida, me levanto e caminho até a cama. Atiro-me nela e fico dormindo como uma tonta.
- Lua, não vai se levantar hoje? – Ouço de imediato, é Simona.
Eu levanto a cabeça, olho para ela, e pergunto:
-Que horas são?
A mulher se aproxima e com gesto de alarme, diz:
- Você está bem?
Assento. Não quero assustá-la, ou rapidamente ela chamará Arthur.
Olho para o relógio, 11 meia.
- Por Deus, mas quanto já dormi?
Simona, não para de me olhar, olhando para ela eu murmuro:
- Ontem à noite eu fiquei até tarde lendo até cair de sono.
Ela sorri, vira e diz:
- Vamos lá, dorminhoca. Os churros que fiz para você já estão frios.
Quando fecha a porta, meu estomago se contrai e corro novamente para o banheiro. Ali fico um bom tempo, até que me sinto melhor e caminho de volta para a cama. De imediato penso nos churros e novamente sinto náuseas. Estou  morrendo de nojo. Isso me faz parar no meio do quarto e pensar. Desde quando os churros me dão nojo?
Minha cabeça dá voltas.
Olho-me no espelho, e sem saber o porquê, me lembro de que minha irmã tinha nojo de churros quando estava grávida.
Meu estomago se contrai novamente e sussurro levando as mãos à cabeça:
— Não, não, não, não pode ser.
Minha mente se bloqueia, meu estomago se contrai e corro para o banheiro.
Dez minutos depois, estou atirada ao chão, com os pés apoiados no lavabo. Tudo gira. Acabo de perceber que minha menstruação está mais atrasada do que desejo.
Estou sem ar.
Sinto-me oprimida.
Acredito que vou ter um infarto a qualquer momento.
Quando tudo para de girar, coloco meus pés no chão e me ajeito.
Olho-me no espelho e murmuro com um gemido lastimável:
- Por favor..., por favor..., não posso estar grávida.
Pinica-me o pescoço. Meu Deus, ele está cheio de erupções! Coço-me, coço e coço, mas tenho que parar se não ficará em carne viva. Nem ligo, e me coço!
Volto para a cama. Sento e abro a gaveta. Pego minha caixa de remédios, e horrorizada me dou conta de que se passaram vários dias desde a última pílula que tomei. Pensando bem me recordo que a ultima menstruação que veio, desceu apenas uma manchinha, estranhei, mas retornei a tomar a pílula.
Oh, Deus... Oh Deus!
Praguejo, me desespero chutando.
Tenho estado muito ocupada com tudo ultimamente que nem me dei conta de que estava acontecendo. Abro a bula da pílula, leio que a margem de erro é de 001%. Tenho tanto azar que venho a ser o 1%? Mas então me recordo de algo. À noite em que estive no hospital, quando aconteceu o acidente com a moto, não tomei o comprimido. Aí tenho o meu 1%.
Fico zonza...
Sinto-me cansada...
Pinica-me o pescoço...
Preciso de um cigarro...
Deito na cama, fecho os olhos. Sinto o cheiro de Arthur em mim e adoro isso. Quando consigo me recompor do susto, me visto e decido ir a uma farmácia. Com urgência! Ao descer, Simona sorri e diz:

- Não coma os churros frios, Lua. Espera que já sirvo a comida. Daqui 15 minutos começa Loucura Esmeralda. Vou deixar estas camisas do Sr. em seu quarto, e depois irei até a cozinha, lá assistimos juntas, o que acha?

Capítulo 106:


Concordo, passo ao seu lado e a mulher me pergunta:
- Está acontecendo algo com você, Lua?
A olho e respondo:
- Nada por quê?
Ela me olha, depois de piscar, insiste:
- Está um pouco pálida.
Ai, mamãe, se ela souber!
Mas como posso respondo:
- Fiquei lendo até as quatro da madrugada, senti falta do Arthur.
Simona sorri e enquanto sobe as escadas diz:
- Não se desespere Lua, o Sr. voltará no máximo depois de amanhã.
Quando ela desaparece, vou à cozinha. Ao entrar vejo que os churros estão sobre a mesa. E para provar a mim mesma me lanço a eles, dou uma mordidinha e meu estomago se comporta bem.
Sorrio e isso me tranquiliza. Mas como estou atacada dos nervos, ataco sete churros de uma vez até que meu estomago se rebela e tenho que sair correndo a todo vapor da cozinha. No caminho cruzo com Simona, e ao chegar ao banheiro, a sinto atrás de mim. Sem nojo e preâmbulos a mulher faz o que tantas vezes minha mãe fez quando eu era pequena, me segura pela frente, enquanto sai tudo do meu corpo. Absolutamente tudo.
Que nojo que me dá!
Quando parece que relaxo, com um suor frio horroroso descendo pelo meu rosto, caminho de mãos dadas com Simona até a cozinha. Ao sentar ela me olha e diz:
- Está pálida, muito pálida.
Eu não digo nada, nem posso.
Não quero falar do que aconteceu comigo. Mas no instante Simona olha para o prato dos churros e diz:
- Como não vai vomitar com todos os churros que você comeu?
Concordo. Ela tem razão.
Não quero dar explicações e respondo:
- Estava com tanta fome que os comi muito rápido, acredito que não tenham caído bem no estomago.
Ela me prepara um chá, e me pede que o tome para que meu estomago se tranquilize.
Que nojo!
Eu nunca gostei de chás, mas Simona se empenha para que eu o beba e não faça caso. Devo beber se não ela chamará Arthur.
Dez minutos mais tarde, sou outra pessoa. Estou recomposta e a cor volta ao meu rosto. Para tentar não falar mais a respeito ligo a tv e começa Loucura Esmeralda. Não presto atenção em nada, meus pensamentos do outro lado. Mas Simona presta atenção, logo que termina o episódio, diz:
-Pobrezinha da Esmeralda. Toda a sua vida sofrendo e agora seu amor não a reconhece e ainda se apaixona por sua enfermeira do hospital. Que triste...,que triste!
Quando se vai fico sozinha na cozinha, penso que preciso ir a uma farmácia. Sem mais, me levanto, procuro Simona e a digo que não vou almoçar. Tenho que sair. Preciso sair, tomar um ar ou vou ter um troço. Pego meu casaco roxo, vou até a garagem e subo no Mitsubishi. O cheiro de Arthur me inunda novamente e sussurro:

-Se eu estiver grávida, te mato Sr. Aguiar.

Capítulo 107:
Começo a dirigir sem rumo, enquanto a música toca no carro e eu não consigo nem cantar.
Não posso acreditar o que está acontecendo comigo. Eu sou um desastre como pessoa, como vou ter um filho?
Paro o carro perto de Bogenhausen e decido dar uma volta pelo jardim Inglês. Faz frio. Em novembro em Munique começa a fazer um frio de mil demônios. Caminho. Penso e vejo que passa uma bicicleta cervejeira, é a atração da cidade.
Observo como os que vão até a bicicleta se divertem enquanto pedalam e tomam cerveja. Ao pensar nisto meu estomago embrulha. Que nojo!
Sigo meu passeio e cruzo com várias mamães com seus bebês. Que arrepio me dá!
Não sei por quanto tempo fico caminhando, até que fico consciente de que estou totalmente congelando. Meu casaco não é suficiente, se continuar aqui pegarei uma pneumonia.
Quando saio do jardim Inglês, vejo uma barraca, vou até lá compro uma carteira de cigarro e um isqueiro.
Acendo um cigarro, trago e o desfruto.
Não posso estar grávida, Deve estar acontecendo algum problema. Sigo caminhando e acho uma farmácia, eu a observo a distância, quando acabo o cigarro, entro, espero na fila, quando é minha vez, digo:
- Quero um teste de gravidez.
- Digital ou tradicional?
A farmacêutica me olha, como não entendo destas coisas, contesto:
- É tudo a mesma coisa.
Abre uma gaveta, pega várias caixas de cores diferentes e diz:
- Qualquer uma destas se pode fazer há qualquer momento do dia. Este é digital, este é ultrassensível...
Durante um par de minutos, a mulher fala, fala e fala, enquanto eu quero que ela se cale e me dê a droga do teste de gravidez. Por fim quando ela pega a última caixinha, me explica:
- Alguns podem ser feitos a qualquer hora do dia, mas eu lhe recomendo que se faça o teste com a primeira urina da manhã.
Com os olhos arregalados, olho para aquelas caixas. Mas o que eu faço aqui comprando isso?
- Você dirá qual vai querer?
Não sei o que dizer. Ao final, pego quatro caixas e respondo:
- Quero estas.
- Todas?
- Todas - Afirmo.
A farmacêutica sorri, sem questionar nada mais, as coloca em uma sacola plástica. Eu a entrego meu cartão de crédito, e uma vez pago, saio da farmácia.
Quando entro no carro, abro a sacola e pego os testes, leio as bulas e em todos dizem basicamente a mesma coisa. Tenho que fazer xixi sobre a faixa, e tem uma confiabilidade de 99%. Lu... lá vamos nós com as percentagens.
Ao chegar em casa, Simona me olha e ao ver que só estou com meu casaco, me repreende por estar com pouca roupa e por ter estado fora por tantas horas. De imediato me dou conta de que são três da tarde. A manhã se passou e eu não me dei conta. Depois de me dar bronca como se eu fosse uma criança pequena, Simona me informa que Arthur me ligou 20 vezes preocupado e voltará a ligar.
Alucinada, me dou conta de que com o ocorrido saí sem o celular, e digo:
- Você não lhe contou o que me aconteceu está manhã?
A mulher nega com a cabeça e diz:
- Não, Lua. Ele já estava bastante preocupado por não te localizar, Além do mais, o conheço e sei que isso o angustiaria muito. Eu preferi não dizer nada.

- Obrigada - sussurro, ao ponto de lhe abraçar. 

Capítulo 108:


Logo Simona volta a seus afazeres, pego o celular e o coloco no bolso da calça e subo a toda pressa para meu quarto. Me fecho no banheiro, me sento no vaso, olho para a sacola que deixei no bidê. Durante vários minutos, digo a mim mesma que isso não pode estar acontecendo.
Eu não posso estar grávida!
Retomo minhas forças, pego um dos teste de gravidez e faço o que indica. Retiro a calça me abaixo e sento, com mãos trêmulas pego o teste e retiro o lacre, por fim começo a urinar na parte absorvente além da minha mão, tampo o teste e o coloco na posição horizontal sobre a pia.
Uma vez que me recomponho e subo as calças, acendo um cigarro. Mas com as tragadas me sinto enjoada. Sento no chão, me deito e coloco as pernas no lavabo.
Minha nossa, minha nossa! Estou apavorada!
Eu mãe de um bebê????
Nem de mentirinha!
Uff... que enjôo!
Lembro-me o parto da Raquel e me dá mais náuseas. Que angustia!
Já se passaram 2 minutos e 37 segundos, 38...39...40.
Tento cantar. Isso sempre me relaxa, nossas canções são as primeiras que me veem à cabeça.
Sé que faltaron razones, sé que sobraron motivos,
contigo porque me matas y ahora sin ti ya no vivo.
Tú dices blanco, yo digo negro.
Tú dices voy, yo digo vengo.
Vivo la vida en color y tú en blanco y negro.
Paro. Olho o relógio. Passaram-se os 5 minutos. Tenho que olhar o resultado, mas continuo cantando.
Dicen que el amor es suficiente,
pero no tengo el valor de hacerle frente.
Não... não...não, definitivamente, eu sou uma covarde!
Não posso abrir o teste. Acendo outro cigarro, não ligo se me enjoa, eu preciso!
Me pinica o pescoço. Me coço, me coço e me coço, já nem posso mais cantar. Abaixo as pernas do lavabo, me sento e olho o teste horizontal. Pego a bula e a releio pela milésima vez. Se saírem duas linhas é positivo e se der só uma é negativo. Pela primeira vez em minha vida desejo ver um negativo maior que um caminhão.
Por favor...,por favor...
Quando apago o cigarro, me encho de coragem, pego o teste, sem pensar o abro. Meus olhos se arregalam.
- Duas linhas – sussurro.
Solto o teste e volto a olhar a bula. Duas linhas, positivo. Uma, negativo.
Sinto-me enjoada...
Volto a reler. Duas linhas, positivo. Uma, negativo.
Me deito no chão do banheiro, enquanto medito com os olhos fechados:
- Não pode ser... Não pode ser...
Dez minutos depois, decido repetir o teste ao recordar que há 1% de erro. Se o anticoncecional falhou, por que o teste de gravidez também não pode falhar?
Levo a cabo o mesmo procedimento de minutos antes. Novamente espero e desta vez sem fumar, quando passam os 5 minutos, abro a tampa do teste e dou um grito:
-Nãooooooooooooooooooooooooooooo...

Faço o terceiro. Depois o quarto teste. O resultado é o mesmo: 
POSITIVO. 


13 comentários:

  1. Como eu esperava esse positivo ebaa

    ResponderExcluir
  2. êeeeeeeeeeeee positivo kkkkk viva viva ansiosa por maissssssssssssss!

    ResponderExcluir
  3. Lua piradinha kkkkkkk e o Arthur vai ficar todo bobo e babão kkkk quero só ver como ela vai falar a ele kkkk

    ResponderExcluir
  4. Aleluia kkkk quero ver quando o Arthur descobrir !!
    Posta +++++++
    Ameii *-*

    ResponderExcluir
  5. Finalmente POSITIVO... O Arthur vai ficar tão feliz :D , calma Lua respira e não pira...

    ResponderExcluir
  6. Ahhhhhhhhhhhhhh finalmente POSITIVO uhuhh posta +

    ResponderExcluir
  7. Ahh mdsssss... Finalmente Lua grávida.. Ameiiiiij Posta maissssss!!!! Arthur vai amar , e Lua surtar..kkkkkll

    ResponderExcluir
  8. Lua ja ta pirando kkkk ai..... curiosa pela reação do Arthur chega logo amanhã kkkk

    ResponderExcluir
  9. Lu pirandoooo kkkk quero o Thur logooo

    ResponderExcluir
  10. Lu pirandoooo kkkk quero o Thur logooo

    ResponderExcluir