Adivinha quem sou esta Noite (Adaptada)- Capítulo 24 - 2º temporada

|

.

Entrego-me em seus braços e quando aproxima seu corpo ao meu, pergunto ao ouvir como começa outra canção:
— Essa música também é de The Pasadenas? – Arthur concorda e eu digo
— E como se chama?
EnchantedLady.
Dançamos. Desfruto da maravilhosa música e da sensualidade com que se move meu amor. Noto como sua perigosa boca passeia pela minha orelha e me arrepio até as pontas quando sussurra:
— Dança muito bem, senhorita Claire.
— Você também não faz mal, senhor Dupont.
— Chame-me de Jean-Paul. É mais íntimo.
Minha mãe... Minha mãe... Como está me deixando esse jogo!
Deixo-me levar.
— Está me excitando nossa proximidade, a você também? – diz.
Concordo. Eu não posso nem falar; põe as mãos no meu traseiro e cochicha:
— Na parte de trás da sala, tem um homem que não tira os olhos de você. Sem dúvida você o atrai tanto como a mim. - Suas mãos começam a me subir o vestido e quando as enfia debaixo, sussurra — Se importa que te toque enquanto ele nos olha?
Nego com a cabeça. Estou tão excitada que não me importa nada. Enquanto seguimos dançando ao ritmo da música sensual, noto suas grandes e quentes mãos em meu traseiro. Aperta-me e eu gemo descaradamente.
 Deus, que excitante!
Arthur sorri e passando o dedo ao longo da borda inferior da minha calcinha, prossegue:
— Tem uma pele sedosa, Claire e me enlouquece o cheiro de seu cabelo.
Não digo nada. Continuo sem poder fazê-lo. Se lhe digo que me deixa louca, o jogo se acabará ali mesmo, por isso continuo dançando em silêncio.
Deixo que suas mãos ávidas entrem cada vez mais abaixo de minha calcinha. Coloca um dedo em minha vagina e o move com delicadeza. Masturba-me enquanto fala francês no ouvido. Não compreendo o que diz. Só entendo sua segurança, sua sensualidade e sua paixão para me levar ao pico mais alto do prazer, enquanto lhe ouço sussurrar:
Je t’aime... Je t’aime...
Quando acho que vou explodir de amor, felicidade e prazer, Arthur retira o dedo de mim e sem dizer nada, começa a desabotoar os botões do meu vestido. Eu o olho e sua boca vai direto para a minha, mas não me beija. Passeia os lábios pelos meus e quando não posso mais, a tentação me faz mordê-lo o lábio inferior. Não o solto enquanto ele segue desabotoando os botões. Quando meu vestido cai no chão e fico só com o sutiã e a calcinha, lhe solto o lábio e ele diz:
Tigresse passionnée.
Acho que ele me chamou de ―tigresa apaixonada”. Que engraçadoooo!
Olho para seu bigode e ri ao ver que ele cai de um lado. Eu o colo novamente. Parece que ele também vai rir, mas então suas mãos vão ao fecho do meu sutiã, o solta e quando meus seios caem descobertos diante dele, exclama:
Oh làlà...! Précieux!
Ambos sorrimos e depois me chupa os mamilos até os deixá-los duros, enquanto eu suspiro como uma louca, baixa a boca até meu umbigo e o beija. Suas mãos rodeiam minha cintura e me enche de beijos quentes e íntimos. Engulo em seco e quando sua boca desliza mais para baixo, em direção a minha calcinha, depositando doces beijos sobre o tecido, o ouço dizer:
 — Souhaitable.
 Não sei o que ele disse. Não sei francês, mas pouco me importa. Não quero que pare. Quero que continue. Tremo diante de suas caricias e então, levantando-se, sussurra perto de minha boca, enquanto noto que abre o zíper da calça:
— Claire, vire-se, afaste as pernas e segure na cadeira que está atrás de você. Eu vou te foder como ninguém nunca fez.
Uau, que tesão!
Eu faço o que ele me pede. E quando separo as pernas, me coloca uma mão próxima aos rins e aperta para baixo, enquanto, sem falar, aproxima a ponta de seu pênis na minha vagina molhada e de uma vez só me penetra. Ambos gritamos diante a rude penetração.
Oh, Deus, como estamos quentes. Meu amor mexe os quadris para entrar mais e mais em mim e sinto como meu corpo o aceita de bom grado. Agarrando meu cabelo, me faz jogar a cabeça para trás com suavidade e me sussurra no ouvido:
— Assim, Claire... muito bem. Empine para que eu possa entrar mais em você. Você gosta... você gosta assim. –Como posso, respondo:
Oui... — Monamour, – balbucia ele entre os dentes — Um pouco mais.
Permita-me entrar um pouco mais. Assim... assim... Ahhhh... O alcance de sua penetração faz com que ambos trememos. Sem dúvida alguma, Jean-Paul. Agarrando meu cabelo, me faz jogar a cabeça para trás e sussurra suavemente em seu ouvido:
— Então, Claire... muito bem. Arqueie para que eu possa entrar em você.
Como... eu gosto. Enquanto eu puder. – eu respondo:
Oui...
— Monamour. – ele sibila por entre os dentes. Um pouco mais. Deixe-me ficar um pouco mais.
Então... então .. Ahhhh... O grau de penetração faz tanto tremer. Sem dúvida, Jean-Paul quer deixar-me marcada.
— Toda... Assim... Toda. – geme.
— Arthur... Um golpe me faz regressar para a realidade.
Ele para e diz: Sou Jean-Paul. Arthur não tem lugar neste jogo. Entendido?
Assinto. Eu me distraí. Para que tudo funcione, não devo sair do jogo.
Volta ao ataque. Mete contra mim como um louco e o ouço gemer, enquanto noto que seu pênis chega até o final de minha vagina e eu me arqueio para lhe dar toda a profundidade possível.
— Isso é... Isso é... — Mmmm. – suspiro. — Assim, Claire... Muito bem, pequena... Deixa que te foda.
Eu gemo e minhas súplicas o avivam. Sabe que gosto com o que me faz e não duvida em repetir. Uma e outra vez se afunda em mim sem piedade, disposto a arrancar centenas de gritos de luxúria, até que passa a mão sobre minha barriga e abaixando-a até meu sexo, o abre, o toca e murmura com a voz apaixonada, enquanto seu dedo acaricia o clitóris:
— Eu convidei o homem que nos olhava para se unir em nosso jogo. Pode ser?
Oui. – digo excitada. Isso me põe ansiosa e Arthur percebe, porque murmura em minha orelha:
— Agora seremos três. Abra mais as pernas... mais. – Me obrigada a fazê-lo — Deixa que ele te chupe. O sente? Sente como te chupa o clitóris com a boca, enquanto eu te fodo e a faço minha?
Oui. – digo animada. Eu não posso responder. O prazer, o tesão, a luxúria do momento me invadem enquanto balbucia em francês:
Jeravis de vousavoir. Vous êtes délicieuse.
Prossegue seu assédio como um louco, enquanto eu grito e choro de prazer, exigindo que não pare e que me foda mais forte. Meu último presente está sendo especial, incrível e não quero que acabe nunca.

Essa noite, Jean-Paul e um convidado fazem amor com Claire em várias ocasiões e quando eles dois se vão, meu amor e eu nos deitamos na cama, felizes e satisfeitos com nosso excitante jogo.

6 comentários:

  1. nem são safados esses dois kkkkk amando mais?

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkk chegaram ja arrasando kkk fiquei confusa com os nomes kkkk

    ResponderExcluir
  3. lindos mesmo com toda safadeza são um fofos kkkk amandooooooooooooooooo ;)

    ResponderExcluir