Little Anie - Cap. 3

|

Little Anie

Pov Lua

-Meu amor! -Kate lhe disse. -Você não ligou ontem, resolvi vim aqui. A gente pode aproveitar o sábado juntos, o que acha? -Lhe perguntou. Ela ainda estava pendurada nele. Após um breve selinho, ela o soltou. Ainda não tinha percebido a minha presença. Até que se virou em direção à cozinha. Seu lindo sorriso que ela escancarava na boca, simplesmente sumiu. Agora fui eu quem ficou com vontade de rir. Mas me segurei. -Não sabia que tinha visita. -Comentou em voz alta.
-Luh dormiu aqui. -Arthur falou e voltou ao seu lugar. Ela o olhou com cara de: "Eu não queria saber disso".
-Aah... Tá melhor? -Me perguntou.
-Sim... E aah... -Fui interrompida por uma Sophia.
-Vamos, Luh! -Ela disse. Concordei silenciosamente. Eu queria fugir dali.
-Eu levo vocês. -Arthur se ofereceu.
-Não precisa! -Me apressei em dizer. -Já dei muito trabalho. Obrigada por tudo, de verdade. E desculpa acabar com a noite de vocês, e me desculpe pelo trabalho. -Finalizei. Sophia abraçou Arthur rapidamente e lhe deu um beijo no rosto.
-Obrigado... -Sussurrou logo depois.
-Não tem de quê... -Respondeu ele.
Fiquei indecisa se ia embora ou lhe abraçava, afinal, aquela garota estava ali, e depois de ontem, eu só queria distância. Ele deu um passo em minha direção, e em um gesto que eu não podia negar, abriu os braços para um abraço. Definitivamente, eu precisava daquilo. O abracei. Arthur me apertou contra ele.
-Se precisar, vou está sempre aqui. Me liga, a qualquer hora, Luh. -Me deu um beijo suave no rosto e depois em minha cabeça. Me afastei dele.
-Obrigado... -Saí dali.

Maio, 2006 - A ligação.

Eu era uma idiota. Como não podia mais suportar a falta dele? Quando foi que ele se tornou tão importante? Quando foi que eu me permitir, sentir algo mais profundo por ele? Quando foi que eu me permitir, amar, Arthur Aguiar?

Levei as mãos à cabeça e fechei os olhos. Céus, meu Deus, o que eu estava prestes a fazer? Eu queria ligar para Arthur. Ele mesmo falou que eu poderia ligar a qualquer hora. E bem, já eram quase três meses desde a última vez que o vi. Eu queria tanto vê-lo, bem, ele ainda estava namorando, disso eu sabia, ouvia os meninos comentarem. Eu nem tinha ido mais ao pub, onde nos fins de semana, todos se encontravam. Depois do último vexame, era melhor ficar em casa. A escola tinha acabado. A faculdade era uma coisa que eles não estavam frequentando, estavam investindo todo tempo, e talento no sonho de se tornarem famosos com a banda, McFly.

Eu estava sozinha em casa, Soph tinha saído com a galera. Eu não sabia sobre Arthur, e se ele estivesse com Kate? E se ele estivesse ocupado demais? E se eu o atrapalhasse com a ligação? Me fiz várias perguntas. No fim, peguei o celular e liguei para ele. O pior que poderia acontecer, era ele não atender e desligar na minha cara. Mas não foi isso que aconteceu. E ouvir a sua voz, fez todo meu corpo se arrepiar.

Ligação ON

-Luh! -Sua voz surpresa e ofegante, fez todo meu corpo se arrepiar, ao ouvi-lo exclamar, meu nome.
-Arthur, bem... Você disse que eu podia ligar a qualquer hora. -Expliquei.
-E pra isso acontecer, demorou quase três meses? -Perguntou. Ri super sem graça. Tive vontade de me desculpar eternamente e desligar o telefone, logo em seguida.
-Espero não está atrapalhando nada. -Mudei de assunto. Sem hesitar, ele respondeu rápido.
-Eu não estava fazendo nada. -Falou. "O QUE?" Ouvi uma voz frustrada e irritada. Óbvio, ele estava com Kate! Concluir.
-É Kate? -Perguntei.
-Por que você ligou, Luh? -Arthur perguntou educadamente. Após uns segundos, e ao perceber que eu ainda esperava a resposta da minha pergunta, ele falou. -Luh, Kate é assunto meu. -Ele falava baixo. Provavelmente ela estava ali perto, e ele não queria que ela escutasse. -Não se preocupe, se eu atendi, é porque eu não estava ocupado. -Finalizou. Outra vez ouvi a voz irritada de Kate gritando ao fundo. "VOCÊ É UM IDIOTA ARTHUR! UM IDIOTA! CHEGAAAA! EU NÃO AGUENTO MAIS SER TROCADA POR ESSA GAROTA. QUE SACO, VOCÊ É MEU NAMORADO, MEEEUU! OUVIU?" Eu não ouvia a voz dele. Só ouvia sua respiração descompensada. "ARTHUR, A GENTE ESTAVA QUASE..."

Ligação OF

Eu não pude ouvir o final da frase. Arthur tinha desligado o celular. Fiquei pensando em retornar, mas acho que já tinha ido longe demais. Óbvio que tinha atrapalhado algo. Deixei o celular de lado e liguei a TV, me joguei no sofá com uma lata de coca cola e um sanduíche. Vou curtir minha noite aqui.


À noite, 20hrs15min - A visita (Inesperada)

A campainha tocou. Fiquei em silêncio por um tempo, a mesma voltou a tocar. Aaaaargh, mas que droga! Exclamei, mentalmente. Não posso nem descansar nessa casa. Sophia não é, ela não voltaria tão cedo assim. Aai meu pai, quem será? E se for um ladrão? Aaaii, eu estou sozinha. Ai, ai, ai... me aproximei da porta devagar. E perguntei:

-Quem é? -Sou uma idiota mesmo. Se for um ladrão, ele não vai dizer que é ladrão. Dããã. Bati em minha própria testa.
-Luh, sou eu, o Arthur! -Ouvi. Aaii meu pai. Só espero que ele não esteja com, Kate. Suspirei só de imaginar. Seria frustrante. Céus, olha onde meus pensamentos estão me levando. Abri a porta.
-Arthur. -Falei.
-Você me ligou. Bem, pensei que estivesse precisando de alguma coisa. -Respondeu. Pensei: Estou. Estou precisando de você, idiota! Mas preferi ficar quieta.
-Você disse que eu podia ligar. E aah, você desligou o celular na minha cara. -O lembrei. -Entra. -Dei passagem e Arthur foi até o sofá. Fechei a porta. -Isso não é nada educado. -Falei ao me sentar em um sofá longe dele, é claro!
-Não mesmo. Peço desculpas. Mas, era uma conversa particular com Kate, ela estava estressada. Acho que você percebeu. -Me falou.
-Tudo bem. Sim, percebi, até um surdo escutaria os gritos dela. -Comentei. Arthur soltou um riso.
-Sim. Ela é histérica. -Admitiu.
-É pouco. Atrapalhei algo né? -Perguntei.
-Não. Já disse, se fosse importante, eu não teria atendido. -Falou sério e me olhou. -Esqueça Kate. Esqueça o pensamento de ter atrapalhado algo. Tudo bem? -Perguntou.
-Tudo... Quer alguma coisa? -Perguntei tentando mudar de assunto.
-Não. Não, obrigada. Por que não foi com Soph?
-Sem chance. Depois do vexame da última vez. Prefiro ficar em casa. -Falei e Arthur riu.
-Não pense assim, pequena. -Sussurrou. Me arrepiei.
-E você, por que não foi?
-Estava com Kate. -Respondeu simplesmente.
-Tinham outros planos... -Balbuciei.
-Sim.
-E eu atrapalhei... -Completei.
-Já disse que não quero falar disso, Luh. -Finalizou. Indicando que queria encerrar ali o assunto.
-Ok, Arthur. Ok! -Levantei as mãos indicando trégua. Ele esboçou um sorriso.
-Melhor assim. Mas você ainda não disse por que me ligou. -Me olhou outra vez.
-Queria conversar... -Falei.
-Bom, estou aqui. Pode falar. -Sorriu. Fiquei com cara de idiota. O que eu ia falar? Falar que o queria? Ooh' não! Devo ter ficado tão vermelha quanto um tomate. Porque ele me olhava estranho. -Luh?
-Oi.
-Não vai falar?
-Aah... Acho que esqueci. -Encolhi os ombros e Arthur se aproximou. Agora ele estava no mesmo sofá que eu, e perigosamente, perto demais.


 Continua...


Se leu, comente! Não custa nada.
Com mais de 7 comentários, posto o próximo cap. Lembrando: O Cap. 4, só quarta-feira. Bjs...

6 comentários:

  1. Que boba, ela devia falar. Posttaaa maiiis...

    ResponderExcluir
  2. Ahhh que bonitinho esse cap. To adorando a web

    by: Naat'

    ResponderExcluir
  3. Qual o seu instagram ??

    ResponderExcluir
  4. mais,mais xXxAdriana

    ResponderExcluir