Adivinha quem sou (Adaptada)- Capítulo 57

|



Solto uma risada. Sem dúvida, minha amiga ainda está em fase devoradora. Deixo o celular e pego alguns cookies de iogurte que estão maravilhosos. Através da janela, vejo Elsa chegar ao que deve ser sua casa. Abre a porta e vai para dentro com a menina.

Por que será que a trata assim?

Neste momento, Pulgas entra na cozinha e olha para mim com sua cara feia.

— Algo errado? – lhe pergunto.

O animal move o pescoço e a cabeça. Sorrio. Lembro-me do que os cães que estão na minha casa gostam e decido tocá-lo. Eu vou para a geladeira, abro e bisbilhoto. Quando eu vejo um pacote de salsichas de Frankfurt, pego uma e, olhando para o animal, digo:

— Você quer?

Pulgas fica nervoso e parece olhar para os lados, como eu fiz antes. Isso me faz rir.

Parto a salsicha em pedaços e lhe dou um. Ele vem até mim e o toma. Pedaço por pedaço, consigo que me dê uma pata, depois a outra e, finalmente, come da minha mão. Está claro que os cães gostam mais disto do que eu do meu cacau em pó. Quando a salsicha acaba, o animal se vai.

Eu rio. Se o pai de Arthur descobre que seu cão e eu temos confraternizado dessa maneira, ficará com raiva.

Nesse momento, a Tata entra na cozinha, me olha e, com um sorriso encantador me cumprimenta:

— Bom dia, querida.

Eu me aproximo dela e lhe dou um beijo. Na minha casa nós nos beijamos ao

deitarmos e levantarmos, e eu preciso desse contato. A mulher sorri e, tirando um envelope do bolso da saia, diz:

— Arthur deixou isso para você.

— Ele saiu? – Pergunto assustada.

— Ele teve que sair.

Ansiosamente, abro o envelope e leio:

Bom dia, querida:

Fui com Tony tratar de alguns papéis da minha mãe.

Espero chegar antes do almoço. Quanto ao meu pai, fique longe dele, não cante muito alto e te garanto que não te incomodará.

Eu te amo,

Arthur

 

Leio a carta mais duas vezes. Por que não me disse para ir com ele?

— Calma, o ogro também saiu.

Saber que ele não está me tranquiliza e ao lembrar do que aconteceu com Elsa, comento com Tata, que diz:

— Maldita Elsa, que dano está fazendo a essa menina!

Durante algum tempo, nós conversamos sobre isso. Vejo sua indignação, e percebo que quando fala da menina, ela o faz com carinho. Mas também percebo certa raiva em suas palavras.

Ela coloca um copo de leite na minha frente, senta e pergunta:

— Ontem à noite, era você que cantava?

— Sim.

Ela solta uma risada e diz:

— Vamos, beba o leite. É bom para os ossos. Tem bastante cálcio.

Eu bufo. Outra como minha mãe... Coloca duas colheres de chá de Cola Cao e insiste:

— Vamos, fará bem. Beba-o.

Eu bebo para não fazer feio. Tomo um gole e ela diz:

— Foram meses sem ouvir alguém cantar nessa casa e garanto que amei. A música sempre esteve muito presente na "Vila Melodia" até que a senhora morreu. Então, o mal-humorado proibiu todo tipo de música. – Vendo minha cara, acrescenta: Cante algo, por favor.

Sorrio e disposta a agradá-la, pergunto, retirando o copo de leite:

— O que quer que eu cante?

— O que você quiser, querida. Qualquer coisa será bem-vinda.

Canto Cry Me Out, que eu amo.

Tata move a cabeça animada enquanto eu desfruto como sempre quando canto.

Quando acabo, aplaude e, aproximando-me o copo de leite, diz:

— Que voz linda! E agora, alguma musiquinha em espanhol?

Penso. Depois de cantar tenho sede. Bebo o leite e sorrio. Tata sorri também. E nesse momento, me vem à mente uma música de Chenoa que eu gosto e canto:

Dibujo todo con color y siento nanananana en mi corazón.

Ya nadie más puede pasar...

Dibujo cosas sin dolor y siento nananana sin ton ni son.

Qué bueno es sentirse bien y romper las rutinas que ciegan mi ser.”

A mulher me escuta extasiada, e quando eu termino aplaude novamente e diz:

— Que voz você tem filha... ! Não me admira que Arthur se apaixonou por você.

Seu comentário me faz sorrir. Tata me faz lembrar minha avó. Carinhosa, atenciosa, entregue.

De repente, ouvimos um estrondo e o pai de Arthur grita:

— Pelo amor de Deus, isso é horrível. Cale-se!

Nós duas nos olhamos. Eu fico branca, mas ela balança a cabeça.

— Não dê ouvidos a ele! – me aconselha.

Meu coração quase sai do peito. Como não vou dar ouvidos ao pai do meu noivo? Dois segundos depois, aparece na porta da cozinha e, me olhando fixamente nos olhos, me ordena:

— Vem. Quero lhe mostrar uma coisa.

E dito isso, ele se vira e vai embora.

Por duas vezes ele me pegou cantando a plenos pulmões. Que horror!

Tata sorri e encolhendo os ombros, me estimula:

— Vá, vá, querida, ele não vai te comer. E calma, se não gostasse de sua voz, teria mandado parar antes de terminar a canção.

Decidida, caminho para a porta e, ao sair da cozinha, vejo que está me esperando.

Ahhhh, uau me assustou! E que cara amarga!

— Siga-me.

Eu o faço sem hesitar. Qualquer um vê que ele não está nada amigável.

Vejo que tem dificuldade para caminhar, mas não dou um pio. Ele para diante de uma porta, e quando a abre, vejo que a escuridão reina dentro.

Não entro. Não me movo.

E se me prende ali com vários assassinos?

Eu desconfio. Este homem não me causa uma boa sensação.

Ele entra, acende as luzes e vejo que o lugar se ilumina. Enfio minha cabeça, e Deus santooooooooooo! Eu fico espantada ao ver o que está dentro.

— Este era o escritório de Luisa, minha esposa.

Entro com a boca aberta e olho o aposento decorado em vermelho e roxo. Vejo centenas de fotos. Imagens da artista com seus filhos. Fotos do ogro e ela se beijando. Pôsters de concertos. Discos de ouro e platina pendurados nas paredes. Centenas de presentes cada um mais esquisito, e ao fundo, uma vitrine repleta de pequenos gramofones.

— Estes são prêmios Grammy? – pergunto.

Não responde .

Eu o olho inexpressivamente e ele finalmente assente. Encantada, me aproximo da vitrine e leio "Melhor Álbum de Fusão Tropical”, “Melhor Álbum do Ano", "Melhor Gravação do Ano”, “Melhor Artista”.

Alucinada, conto mais de 20 e me emociono. Não os toco. Os olho como alguém que olha um diamante de muitos mil quilates, quando o pai de Arthur diz:

— Os que estão a sua direita são prêmios Billboard.

Curiosa leio neles, "Prêmio de Música do Ano", "Prêmio de Artista do Ano”, “Prêmio Grupo Tropical do Ano”, "Prêmio Carreira Musical" e, como os Grammy, há um monte.

Incrível! Isso é incrível.

Eu observo tudo com os olhos arregalados e sorrio. Eu olho para o homem que está ao meu lado sem se mover e comento maravilhada:

— Sua esposa era uma cantora excecional. Não me admira que deram-lhe tantos

prêmios.

— Você também tem uma bela voz. – responde, me surpreendendo.

— Obrigada – eu digo, completamente e totalmente chocada.

Sua expressão se suaviza. Acredito que vai dizer algo agradável, mas de repente, pegando um dos prêmios, pergunta:

— É isso o que você está à procura?

— O que?!

— Isso é o que você quer, certo?

Surpresa, não sou capaz de responder. Meu semblante muda e ele continua:

— Posso encontrar um empresário e um produtor. Posso deixar que você escolha entre vários para que produzam seu álbum e tenha sucesso. Em troca, só tem que deixar Arthur e não se casar com ele.

Uau. Está me subornando?

Dou um passo para trás. Ele, sem tirar os olhos, acrescenta:

— Amanhã mesmo você pode ter o empresário e o produtor se me disser que sim e sair da vida do meu filho.

Meu sangue ferve.

Plano A: Pego um Grammy e bato em sua cabeça.

Plano B: Pego um Grammy e bato em sua cabeça.

Plano C: Pego um Grammy e bato em sua cabeça.

Eu bufo. Tomo ar e descarto meus planos A, B e C, enquanto mordo minha língua. Se disser o que penso, este velho não só me expulsará da sua casa, mas a polícia me expulsará do país algemada.

Como pode ser uma pessoa tão má?

Como pode fazer isso com Arthur?



Meninas eu não queria estar a ser chata, mas vocês não estão a comentar e não sei se tenho leitoras ou não, por isso não vou postar com menos de 5 comentários.

9 comentários:

  1. Amoooooo odeio esse pai do Thur posta ++++

    ResponderExcluir
  2. Lua tem que dar umas bofetadas nesse velho... Aff ele só sabe humilhar ela, tem que ir embora dessa casa!! Amooo essa webbb nunca deixe de postaaaa !!!!

    ResponderExcluir
  3. Vc tem muito leitores é pq as vezes os capitulos n surpreede e a demora tbm

    ResponderExcluir
  4. comecei a ler hoje essa web, e ja quero mais kkk muito boa mesmo e ja quero matar esse velho!

    ResponderExcluir
  5. COntinua pelo amor de deus, curiosidade a mil kk

    ResponderExcluir
  6. Que velho nojento ;(

    ResponderExcluir
  7. Odeio esse velho, a web ta perfeita posta mais

    ResponderExcluir