Treinando a Mamãe 2

|
Capitulo 28

- Ow. Você. Hã. Desculpe. - Balbuciou. Ela realmente estava sem graça. - Vou matar você... Pode se preparar. - Inclinou o corpo para trás para me olhar, e sussurrou. Eu ergui os olhos e revirei-os.
- Ela está.... Sá e Salva. - Ele ainda estava prostrado diante da porta, e agora com um sorriso de orelha a orelha olhando para a minha mãe. - Bem... Amanhã temos um dia cheio, Srta.Blanco. - Piscou para Lua. - Nós vemos amanhã, resolvam-se. E...Amy. - Eu o olhei. - Conversaremos depois.
Eu sorri de canto para ele, agradecendo de uma certa forma, por ele ter feito questão de me trazer até em casa. Mas eu estava desconfiando das intensões dele. Deu outra olhadela para Lua e inclinou o corpo para puxar a maçaneta da porta aberta, fechando-a. Lua fica com a boca dentre aberta, olhando para a porta, agora fechada.
Eu dou uma risadinha.Um erro meu! Ele virou-se lentamente em minha direção, bufando de raiva. Encolhi os ombros e virei o rosto.
- Filha de uma puta! - Repetiu o elogio de alguns minutos atrás, e eu lhe olhei ironicamente irônica.
- Se xingando?
- Quase morri Amy Lee, seu pai está na rua ainda te procurando, quase 20 da noite e você na rua. Isso não se faz, isso é errado! - Segurou firme no meu braço, me levando para o sofá, mas antes que ela me fizesse sentar, eu me desvencilhei dela.
- Olha que isso doí hein! - Lhe encarei, olhando para o meu braço, com a marca da mão dela.  - Sai da casa do Caio era quase 19, mas tipo, o transito, por isso demorou! Agora vou para o meu quarto, me trancar lá e não adianta bater, não vou abrir! - Passei por ela, e ela pegou forte novamente no meu braço, fazendo-me olhar para ela.
- Se comportando como criança?
- Olha quem fala! - Me desvencilhei novamente. - O exemplo que eu tenho é justamente de crianças!
- Quando seu pai chegar, ele vai conversar com você. - Eu poderia ter magoado ela, aquilo apertou meu coração. Mas mesmo assim... Merecia escutar. Dei de ombro e sai dali, entrando no corredor do meu quarto.
Eu entrei no meu quarto e vi que estava fervendo de raiva. Corri a mão pelo meu cabelo e me segurei para não estourar mais um celular contra a parede.  Minutos depois, os gritos dentro do apartamento me assustaram. Era o tom de voz do meu pai e ele estava bravo... Muito bravo. Segundos depois batidas pesadas e raivosas soam no meu quarto. Arregalo os olhos fitando-a.
- Abre Amy!- Rosnou ele do outro lado.
Ai merda.
- Vai dormir papai. - Minha voz sai tremula, agora eu estou diante a porta.
- Vou te dar três segundos para abrir essa porcaria. - Ele não estava brincando.
Tremendo bastante eu giro a chave na fechadura e rodo a maçaneta da porta, abrindo-a. Ele está lá, com o ombro amparado em um lado da borda da porta, e o outro braço, esticado do outro lado, Resumindo... Tomando a porta por inteiro.
O olhar do meu pai é sanguinário. Que medo!
- Amy! - Ele explode, estreitando os olhos para mim. Entra no quarto e eu gelo. - Está maluca Amy? Como você faz uma merda dessa comigo? Você quer me matar?
Definitivamente? Eu estou muito ferrada.
- Só foram algumas horas.
- Horas em que eu não imaginava onde você pudesse estar. Saber o que é isso para um pai desesperando? Você não conhece a cidade, nunca andou sozinha por aqui, e além do mais ... Está cheio de pessoas ruim por todo o mundo... E você... Porra Amy Lee. - Seus olhos estão assustados, e aliviados também. Mas a fúria ainda reina nos olhos do meu pai. Mas cara, o errado é ele... E hã... A Lua.
Por um instante meu sangue sobe. Opa! a errada não sou eu mesmo.
- Você fica todo furioso porque eu sai de casa, exausta de assistir briguinha de dois marmanjos se comportando como crianças? - Lhe encarai. - Pai! Eu estou farta disso, farta de ter passado minha infância toda me sentindo rejeitada, farta de conhece-la e ter que me afastar dele novamente, farta de passar tempos sem vê-la sabendo que ela estava sentindo minha falta assim como eu senti dela. Exausta de toda essa merda de ''Família incomum''. - Fiz uma breve pausa. Minhas próprias palavras me arrepiam, e eu vejo que estou prestes a chorar. Mas me mantenho firme, firme o suficiente para não... Não chorar naquele momento. - Passei 18  anos da minha vida carente dela, carente de você, carente de tudo... Quanto mais você me dava tudo eu não tinha nada. E agora eu tenho, tenho ela, você, as crianças. E voes por BURRICE. - Explodo. - Querem abrir mão. Ah pai, faça-me o favor. - Cainho pelo quarto, tão nervosa quanto ele.

                                                                                                        Continua............
Anonimo
Se vc não ta gostando para da um tempo... quando senti curiosidade volta e lê. Bom eu faço isso quando to lendo uma web e ela fica chata. 



10 comentários:

  1. Amando vc Escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  2. Eu to achando que esse Fernando ainda vai dar o que falar kkk do jeito que a lua é ela ainda vai fazer a criancice de ficar com ele

    ResponderExcluir
  3. fala amy, coloca tudo pra fora , quem sabe assim o thur e a lua nao se resolvem . E o seu aguiar vai ficar com ciumes se souber q o fernando esta caidinho na lua Xxadaline

    ResponderExcluir
  4. posta mais, por favor!!

    ResponderExcluir
  5. posta mais por favor

    ResponderExcluir