Peça-me o que quiser agora e sempre - 2º temp. - 18º e 19º Capítulo (Adaptada)

|

Capítulo 18:

Minha cabeça vai explodir.

— Eu não disse isso. Tenho que falar com David.

Continua sem me soltar.

— Por quê?

Apesar de aturdida, cravo um olhar duro nele.

— Porque está me esperando, porque veio me buscar, porque merece uma explicação.

Arthur concorda. Noto o desconforto em seu rosto, mas me solta. Finalmente, saio da cozinha atrás de Arthur.

Na sala, ao me ver, David assobia.

— Está espetacular, Lua.

— Obrigada — respondo, sem muita vontade de sorrir.

Sem querer pensar em mais nada, agarro David pelo braço, diante do espanto de meu pai e da minha irmã, e o levo ao jardim para falarmos a sós. Reconheceu Arthur como o homem de ontem à noite no pub. Entende o que explico, concorda e, depois de me dar um beijo no rosto, vai embora. Eu volto para casa. Todos me olham. Meu pai sorri, e Arthur estende a mão para mim para que a pegue.

— Você vem comigo?

Não respondo.

Apenas olho para ele, olho e olho.

— Tia, você tem de perdoar o Arthur — diz minha sobrinha. — Ele é muito bom. Olha, me trouxe uma caixa de bombons do Bob Esponja.

Então vejo que Arthur pisca um olho para minha sobrinha.

Ele a está subornando?

Ela lhe dá um sorriso cúmplice e meloso. Esses dois!

Olho meu pai, que, emocionado, aprova. Olho minha irmã, que, com um de seus sorrisinhos bobos, também aprova com a cabeça. Meu cunhado pisca pra mim. Fecho os olhos, e meu coração diz que sim. É o que desejo. É o que preciso.

— Por enquanto, você e eu vamos conversar — digo, olhando para Arthur.

— O que você quiser, querida.

Minha sobrinha pula, feliz.

— Me dê um segundo.

Entro no meu quarto, e minha irmã vem atrás. Vendo o quanto estou perturbada, me abraça.

— Deixe o orgulho de lado, sua teimosa, e aproveite o homem que veio buscar você.

Vocês discutem? Claro, querida. Discuto com José dia sim, dia também, mas as reconciliações são a melhor parte. Não negue seus sentimentos e se deixe amar.

Chateada comigo mesma por ficar mudando tanto de ideia, me sento na cama.

— É que ele me tira do sério, Raquel.

— E daí?! José também me tira do sério. Mas nos amamos e é o que importa, fofinha.

Por fim sorrio e, com a ajuda dela, começo a meter minhas coisas na mochila.

O que sinto por Arthur é tão forte que, definitivamente, não posso ir contra. Eu o amo, preciso dele, o adoro. Ao voltar à sala com minha bagagem, Arthur sorri, me abraça e consegue me deixar arrepiada, quando proclama diante do meu pai e de toda a minha família:

— Vou te conquistar todos os dias.



Capítulo 19:

Depois de me despedir de minha família, entro no carro de Arthur.

Fraquejei.

Fraquejei e estou de novo com ele.

Minha cabeça não para, enquanto tento entender o que estou fazendo. De repente, presto atenção à estrada. Pensava que íamos à casa de Frida e Andrés, em Zahara, e me surpreendo ao ver que nos dirigimos para o maravilhoso chalé que Arthur alugou no verão.

Depois que o portão metálico se fecha atrás de nós, observo a linda casa ao fundo e murmuro:

— O que fazemos aqui?

Arthur me olha.

— Precisamos ficar sozinhos.

Concordo.

Não quero nada mais que isso.

Quando desembarcamos, Arthur pega minha bagagem com uma das mãos e me dá a outra. Me agarra com força, possessivo, e entramos na casa. Tenho uma tremenda surpresa ao ver como o ambiente mudou. Móveis modernos. Paredes lisas e coloridas.

Uma televisão de plasma enorme. Uma lareira por estrear. Tudo, absolutamente tudo, é novo.

Surpresa, olho Arthur. Vejo que liga o som e, antes que possa dizer qualquer coisa, me explica:

— Comprei a casa.

Incrível. Mas como é possível que eu não tenha sabido disso?

— Você comprou esta casa?

— Sim. Pra você.

— Pra mim?

— Sim, querida. Era minha surpresa de Natal.

Espantada, olho ao redor.

— Venha — diz Arthur depois de largar minha bagagem. — Precisamos falar.

A música envolve a sala, e sem poder deixar de admirar como está bonita e elegante, me sento na confortável poltrona diante da lareira crepitante.

— Está muito bonita com esse vestido — Arthur afirma, sentando-se a meu lado.

— Obrigada. Acredite ou não, comprei por sua causa.

Depois de um gesto de concordância, passeia seu olhar por meu corpo, e meu Iceman não pode evitar confessar:

— Mas era a outros a quem você pensava oferecer esse espetáculo.

Lá vamos nós.

Já recomeçamos.

Já está me cutucando!

Conto até 45; não, até 46. Respiro fundo e finalmente respondo:

— Como te disse uma vez, não sou santa. E quando não tenho namorado, mostro e dou tudo que quero, a quem eu quero e quando eu quero. — Arthur arqueia uma sobrancelha, mas eu prossigo: — Sou minha única dona, e isso você tem que entender bem entendido de uma vez por todas.

— Certo: quando não tem namorado, o que não é o caso — insiste, sem afastar os olhos de mim.

De repente, me dou conta de que toca uma canção de que gosto muito. Minha nossa, como me lembrei de Athur esses dias enquanto a escutava. Nos olhamos de novo como rivais, ao som da voz de Ricardo Montaner:

Convénceme de ser feliz, convénceme.

Convénceme de no morir, convénceme.

Que no es igual felicidad y plenitud

Que un rato entre los dos, que una vida sin tu amor.

 

Estas frases dizem tanto de minha relação com Arthur que momentaneamente me nublam o pensamento. Mas por fim Arthur dá o braço a torcer e muda de assunto.

— Minha mãe e minha irmã te mandam lembranças. Esperam te ver na festa que organizam na Alemanha no dia 5, lembra?

— Lembro, mas não conte comigo. Não vou.

Continuo de cara fechada e minha petulância lá em cima. Apesar da felicidade arrebatadora por estar junto do homem que adoro, o orgulho e a raiva continuam fortes em mim. Arthur sabe disso.

— Lu... Sinto muito por tudo que aconteceu. Você tinha razão. Devia ter acreditado no que me dizia sem ter questionado mais nada. Mas às vezes sou um cabeça-dura e...

— O que te fez mudar de ideia?

— A paixão com que defendeu sua verdade foi o que me fez compreender o quanto eu estava enganado. Antes de você ter ido embora, querida, já tinha me dado conta da minha grande besteira.

Veja só como os caras merecem mesmo uma porrada.

— Me convença...

11 comentários:

  1. Ahhhh mdsss esses dois são duro na queda... Postaaaaa maisss!!

    ResponderExcluir
  2. Posta mais! esse foi muito pequeno

    ResponderExcluir
  3. Aí que lindo, já ouvi a música do Ricardo Montaner já o conhecia... a web tá Demais

    ResponderExcluir
  4. +++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  5. perfeita demais a web

    ResponderExcluir
  6. Amo essa web cada vez mais!!! Flor pq vc não postou adivinha quem eu sou?! Ela tbm é perfeita!!!
    Laryssa

    ResponderExcluir
  7. Agora sim tá ficando bom !!
    Posta ++++++++
    Ameeii *-*

    ResponderExcluir
  8. Por favor posta mais! Conciliação sempre é a melhor parte

    ResponderExcluir
  9. Hulhul agora Lua mostre quem manda u.u Adoroooo *Õ*

    ResponderExcluir