"É Estranho. Mas é do nosso jeito" - 2ª Temporada - 12º Capítulo

|


P.O.V.'s Narrador


Com Lua grávida de seis meses, Arthur tentava ao máximo fazer com que ela não dirigisse nem fizesse qualquer tipo de esforços em casa.

- Você lava a loiça, arruma os quartos e a sala, lava o carro e eu simplesmente não faço nada! – Ela brigava – Nem regar simples plantas se eu posso. Eu estou grávida e não inválida.
- Eu só não quero que o Lourenzo nasça com problemas.
- Problemas? Se ele seguir os meus exemplos, de não fazer nada, aí sim ele vai ter problemas.
- Eu acredito que ele será um exemplar, assim como o pai. – Arthur deu a volta à briga de Lua e mimou-a com beijos.
- Assim é sacanagem.
- Assim como?
- Assim. – Ela se contorceu com os beijos dele. Se deitou no sofá e ficou com ele por cima – Você desperta algo em mim, a toda a hora.
- Ainda mais agora, não é?
- Verdade. O médico disse que o desejo sexual aumenta nos seis meses. Será que temos tempo para uma coisinha bem rápida? – Ela mordeu o lábio, afinal, tinha um jantar nesse mesmo dia.

[…]

Chegaram bem tarde desse jantar. Segunda de manhã, acordaram tarde para irem trabalhar, então cada um decidiu levar o seu carro para chegar mais cedo no trabalho.

- Vai com cuidado. – Arthur tirou o carro da garagem e meteu na estrada para Lua dirigir até ao seu trabalho. Ela já estava sentada no seu lugar, com sinto de segurança colocado e ele estava no vidro do seu lado lhe dando as últimas recomendações. – Na hora de almoço me liga, ok?
- Sim. Te amo.
- Eu também te vos amo! – Arthur piscou e deu um beijo demorado em Lua. Ele não saiu do lugar até não ver mais o carro dela ao virar da esquina. De seguida, entrou no seu e seguiu o caminho para o seu trabalho.

Lua escutava Blank Space enquando estava paralizada no trânsito. Para além de estar atrasada, ainda tinha de apanhar esse maldito trânsito. O barulho era intenso causado por apitadelas de outros carros e  chingamentos dos motoristas que, tal como ela, estavam atrasados para os seus devidos compromissos.
Enquanto nenhum carro andava, Lua pegou o celular e mandou mensagem para Diogo, para que ele avisa-se à produção de que ia chegar tarde por causa do tráfego. 
Tudo aconteceu muito rápido. Parecia uma espécie de tornado. Uma série de carros veio na direção do seu e ela não teve como se desviar. Ela olhou para trás e viu que, tal como ela, os outros condutores estavam assustados. Quando olhou para frente, o monte de carros batidos uns nos outros estavam a um segundo de a atingir. Ela colocou as mãos na barriga e se encolheu. 

Tudo aconteceu muito rápido. Alguns carros passaram no sinal vermelho, a grande velocidade, julgando que ia dar certo. Bastou um toque no primeiro carro, para esse primeiro chocar no segundo, o segundo no terceiro e assim vamos. 
O acidente em cadeia com dezenas de carros era notícia de todos os telejornais. Estavam, no local, vários carros de polícias e bombeiros tentando resgatar os feridos. Os mais prejudicados estavam sendo socorridos primeiro e sendo enviados para o hospital de urgência.
Lua tinha desmaiado, mas acordou por instantes e pediu socorro. 

- Socorro. Salvem o meu bebé. Socorro. - Ela estava fraca. Os seus gritos foram escutados por um condutor qualquer que gritou também para que ajudassem aquela grávida.
- Socorro. Socorram a mulher do carro azul escuro. Agora! – Ele pedia.

Aflição. Dor. Pena. Confusão. Mágoa. 

No hospital, o Dr., que curiosamente acompanha Lua na gravidez, foi quem a atendeu. Ele era primo de Diogo e não tardou em ligar para ele e lhe informar do que tinha acontecido.
Lua estava nos cuidados intensivos. Tinha marcas por todo o corpo, várias escoriações e uma suspeita de traumatismo craniano. Ela foi levada para as salas de urgência.

- Cesariana! – Era a única alternativa dita pelo médico aos restantes, caso contrário tanto a mãe como o bebé poderiam morrer.

Os médicos a levaram para dentro e não disseram mais nada nas horas seguintes. 
Entretanto, Diogo chegou ao hospital e pediu para falar com o seu primo. Este lhe disse o estado em que Lua se encontrava e deixou o primo de rastos. 
Arthur, por sua vez, soube do acidente e ficou com um aperto forte no peito.

- Mas que espécie de aperto? Um pressentimento?
- E eu sei lá? – Ele respondia a Anna, na sala de professores – É uma dor no peito. Lua. Tenho que ligar para ela.
- Deixa pra lá Arthur. As más notícias correm depressa. Se você não soube de nada até agora, então não tem com que se preocupar. 
- Não. Eu tenho. Tenho que ligar para ela.

Arthur pegou o celular e discou os números de Lua. Ele estava tão confuso que acabou de enganando duas vezes. Suas mãos estavam tremulas, assim como basicamente todo o seu corpo.
Ligou. Ligou. Voltou a ligar. Nada. Lua não entendia e os seus nervos não paravam.

- Ela deve estar trabalhando.
- Não… acho que algo aconteceu. – Arthur mordeu o lábio.

Diogo andava de um lado para o outro no hospital. A hora de almoço já tinha passado. Até aí, ele tinha recebido várias ligações do canal onde trabalha, onde todos perguntavam por Lua. Ele não conseguia dizer nada, porque simplesmente não sabia de nada.
O seu primo, Dr. Pedro, veio até ele com um rosto sério. Ele trazia um caderno na mão e passou a mão na barba antes de dizer alguma coisa, suspirando de seguida.

- O bebé sobreviveu.
- E ela? – Os olhos de Diogo lacrimejaram. 

Notas finais:
-Qual será o destino dessa fic?

11 comentários:

  1. Eu só acho q esse idiota do diego deveria ter avisado o
    Arthur affff

    ResponderExcluir
  2. O Diogo tinha que ter avisado ao thur
    Posta mais +++

    ResponderExcluir
  3. Diogo babaca avisa o Arthur, mds :( ,posta mais hj please

    ResponderExcluir
  4. Diogo babaca avisa o Arthur, mds :( ,posta mais hj please

    ResponderExcluir
  5. Tbm acho que o babaca do Diogo deveria ter avisado o Arthur. A lua não pode morrer pfv !
    Laryssa

    ResponderExcluir
  6. Affs, o Babacao do Diogo era pra ter avisado k Arthur, Pelo amor deus nao deixe a Lua Morrer :( :( :( Continua Pfvr ! ?

    ResponderExcluir
  7. Oq esse babaca do diogo ACHA que tá fazendo? Ele tá pensando oq? Que ele é pai da criança e namorido da lua? OLHA SÓ GAROTO, SE VOCÊ NÃO AVISA PRO ARTHUR EM 10 SEGUNDOS, EU TE MATO MENINO RIDÍCULO, SEU FUBENTO RECALCADO, TEM INVEJA DO ARTHUR PQ ELE TEM A MULHER E O FILHO QUE VOCÊ QUERIA TER.
    Desculpa pelo desabafo autora querida, é que esse menino me tira do sério u.u
    Sua web tá tão perfeita, parabéns!!
    Xx MilaMozart

    ResponderExcluir
  8. Tomare que este traste avise o Thur. #chorosa

    ResponderExcluir
  9. Nãooooooooo a Lua não pode morrer, pelo amor de deus :(:(:(:(

    ResponderExcluir