Forever Too Far - Capitulo 3

|
                                        


Lua
Falar sobre Ação de Graças me lembrou da minha mãe. Este seria o meu primeiro feriado sem ela. Quando mais afundava em mim mais difícil tornou para respirar. Forcei um sorriso e fiz minha desculpas antes de correr para cima para tomar um banho. Arthur precisava de algum tempo sozinho com seu pai de qualquer maneira.
Deixei as lágrimas que havia retido cair livremente, enquanto me despia e entrava no chuveiro. A água quente caiu em cima de mim enquanto um soluço quebrou livre. No ano passado eu tinha feito á refeição de Ação de Graças e nós tínhamos comido juntas na sala de jantar. Sem amigos ou família. Apenas nós duas. Eu tinha chorado naquela noite também. Porque, no fundo, eu sabia que era minha última Ação de Graças com a minha mãe. As memórias de anos passados, quando Estrela e meu pai tinham estado ali eram agridoces. Meu coração doeu por tudo que tinha perdido. Eu não tinha pensado que nada poderia machucar tanto, mas eu sabia agora que estava errada.
Enfrentar o feriado sem minha mãe seria difícil. Ela adorava Ação de Graças e Natal. Gostávamos sempre começar a decorar a saca para o Natal do Dia de Ação de Graças. Então nós sentávamos e assistíamos White Christmas juntas naquela noite, enquanto comíamos restos de peru e batata cozida. Essa tinha sido nossa tradição. Mesmo depois de termos perdido Estrela, e o papai nos deixar.
Este ano tudo seria diferente. Sabendo que Arthur estaria comigo e que eu estava começando uma nova família, minha própria, aliviou a dor. Eu só queria que minha mãe estivesse aqui para me ver tão feliz.
A porta se abriu e eu me virei para ver Arthur entrando no banheiro. Ele estava franzindo a testa. Ele parou e me estudou por um momento antes de puxar sua camisa e jogá-lo no chão de mármore. Então ele desabotoou sua jeans e saiu de sua cueca boxer. Vi quando ele entrou no chuveiro.
''Por que você está chorando?'', Ele perguntou, colocando meu rosto em suas mãos. Eu sabia que o chuveiro tinha lavado as minhas lágrimas, mas meus olhos ainda deviam estar vermelhos. Balancei a cabeça e sorri para ela. Não queria preocupá-lo com minhas emoções.
''Ouvi você quando abri a porta do quarto. Preciso saber por que, Lu.''
Suspirei e coloquei minha cabeça contra seu peito, em seguida, meus braços em torno de sua cintura. Eu tinha perdido muito, mas Deus fez o melhor, dando-me Arthur. Eu precisava me lembrar quão abençoada eu realmente era.
''O fato é que, é minha primeira Ação de Graças sem minha mãe e isso me abalou.'' admiti.
Os braços de Arthur apertaram ao meu redor. ''Sinto muito beby'', ele sussurrou em meu cabelo enquanto me segurou.
''Eu também. Gostaria que você pudesse te-la encontrado, quero dizer, agora que você é mais velho. Queria que ela tivesse te visto todo crescido.''
''Também queria que ela tivesse visto. Tenho certeza que ela era tão perfeita quanto você é.''
Sorrindo, queria discordar. Estava longe de ser tão perfeita como a minha mãe. Ela era umas dessas pessoas especiais que o mundo não vê com frequência.
''Se o meu pai ficar aqui e for difícil para você vou manda-lo embora. Quero fazer disso uma boa memória para você. Qualquer coisa que eu possa fazer para ajudá-la só me diga e vou fazer-lo.''
Lágrimas escorriam livremente pelo meu rosto novamente. Estúpido hormônios da gravidez me fazem uma fonte de vazamento recentemente.
''Ter você comigo faz tudo melhor. Apenas falando do feriado me fez lembrar que mamãe amava Ação de Graças. Eu sabia que o último ano era o último que nós passaríamos juntos. O dia inteiro fiz tudo que podia para torná-lo especial para ela. E para mim. Eu sabia que precisaria dessa memória.''
Arthur esfregou pequenos círculos nas minhas costas e me segurou em silencio. Ficamos  ali, enquanto a água passou por cima de nós por vários minutos. Finalmente ele se afastou o suficiente para olhar para mim.
''Posso lavar você?'' ele perguntou.
Balancei a cabeça, sem saber o que ele queria dizer. Ele estendeu a mão para um dos os panos limpos empilhados do lado de fora do chuveiro e pegou uma das minhas garrafas de sabonete para o corpo. Então ele começou lavar as minhas costas e ombros. Ele pegou cada um dos meus braços como se eu fosse uma criança e lavou-os completamente. Estava lá e assisti como ele se concentrou em limpar cada centímetro do meu corpo. Ele não fez isso sexualmente, o que me surpreendeu. Em vez disso, era mais doce e inocente do que qualquer outra coisa que já tinha feito. Sua mão não se demorou enquanto lavava entre minha pernas. Só ele apertou os lábios no meu estomago, quando se ajoelhou na minha frente e lavou minhas pernas e pés.
Quando ele terminou, ele se levantou e começou a lavagem meu corpo com as mãos. Cada toque parecia quase uma reverencia. Como se ele estivesse me adorando, ao em ver de me lavar. Quando meu corpo estava limpo, ele se mudou para o meu cabelo fachei meus olhos enquanto suas mãos massagearam meu couro cabeludo. Meu joelhos foram um pouco fraco por causa do prazer. Passou shampoo e enxaguou e depois o meu condicionador, dando-lhe tanta atenção e colocar o meu cabelo sob a água limpa novamente.
Meu corpo estava relaxado pelos mimos. Eu estava quase lenta. Arthur desligou a água e pegou duas toalhas grandes. Uma enrolou no meu cabelo e a outra que ele colocou em volta do meu corpo. Então ele me pegou, me levou para a cama e me deitou.
''Só descanse. Estarei de volta'', ele sussurrou beijando minha testa e caminhando de volta para o banheiro.
A visão de sua bunda era tentadora e eu queria ficar acordada. Tendo ele me tocado dessa forma tinha me excitado mesmo que não tivesse sido sua intenção. Tentei esperar por ele, mas meus sonhos ficaram pesados e adormeci. Aconcheguei-me mais no calor. Cheirava a sol e ar do oceano. Suspirando contente, eu esfregava meu rosto contra o calor reconfortante. Ele deu uma risadinha.
Meus olhos se abriram e o peito nu do Arthur estava pressionado contra o meu rosto. Sorrindo, beijei-o e olhei para ele. O sorriso divertido em seus lábios só me fez rir.
''Você é como uma gatinha quando acorda''. disse ele com uma voz rouca profunda.  Ele deve ter acabado de acordar também.
''Se você não me fizesse sentir tão bem, eu não estaria procurando me esfregar em você no meu sonho.'' Arthur piscou.
''Então estou feliz por isso, porque você não vai se esfregar em mais ninguém, ou terei que matar alguém.'' Eu amava esse homem.
''Desculpe, adormeci tão rapidamente na noite passada.''
Arthur sacudiu a cabeça. ''Não se preocupe. Amo saber que relaxei você e que foi fácil para você cair no sono. Não gosto de te ver triste''.
Amo este homem. Alongando contra ele, coloquei as duas mãos atrás de seu pescoço e pressionei meu corpo contra o dele. Apertei minhas pernas nele com formigamento de antecipação quando sua ereção roçou minha coxa. Eu precisava dele esta manhã. Após o doce momento na noite passada eu precisava me sentir completamente conectada a ele agora.
''Faça amor comigo''. sussurrei enfiando a cabeça na curva entra o pescoço e o ombro.
''O prazer é meu''. ele murmurou e colocou a mão entre minhas coxa. Ele levantou uma das minhas pernas e descansou seu quadril. Eu estava aberta e o sentimento exposto me animado. Seu dedos rocaram a parte interna das minhas coxas, me provocando muito me deixando mais necessitada. Eu gemia na esperança que Arthur se apressasse, mas ele não ser apressou. Em vez disso, parecia faze-lo mais lentamente. Seus dedos ásperos traçaram padrões nos meus joelhos até o topo da minha coxa, em seguida, de volta. Eu tinha certeza que seus movimentos deixaram-me vergonhosamente molhada.
''Arthur, por favor.''
''Por favor, o que, doce Lua. O que você quer que eu faça?''
Eu disse a ele o que eu queria. Aparentemente, ele queria ouvir mais. Arthur e suas palavras impertinentes sempre me animavam.
''Toque-me''.
''Estou tocando você'', ele respondeu.
''Toque-me mais no alto.'' implorei. Ele queria que eu falasse sujo. Eu iria provocá-lo também. Ele passou o dedo no vinco da minha coxa e agarrei seus braços com força e tremi. Ele estava tão perto.
''Aqui?'', ele perguntou.
Mudei para que seu dedo escorrega-se perto. Ele começou a mover a mão e parou.
''Foda-se'', ele gemeu deslizando o dedo dentro de mim lentamente.
''Tão molhada. Não posso brincar quando você já está tão molhada'', ele sussurrou.
Gritei enquanto ele passava suavemente a ponta do dedo sobre o meu clitóris. Ele tinha me espalhado aberta e ter suas mãos me tocando só me deixando louca. Eu queria mais.
''Minha doce manina esta tão pronta para mim'', disse ele movendo dois dedos de mim e pressionando contra o meu ponto G. O grito de prazer que arrancou de mim foi mais do que podia suporta. Ele agarrou minha cintura e me posicionado sobre ele antes de ir lentamente me afundando sobre se pênis.
''Caramba, como foi ficar mais apertado'', ele rosnou, espremendo meus quadris e balançando contra mim quando me sentei nele apertando cada centímetro dentro de mim. Para estar completa era isso era o que eu precisava. De Arthur.
                                                                                               Continua.......

12 comentários:

  1. Nossa, ameii o capituloo!! Amando muiito essa temporada!

    Naathy

    ResponderExcluir
  2. Web perfeitaaa de mais amando essa temporadaaa posta maisss!!!

    ResponderExcluir
  3. Quantoo amor ♥♥
    Cada capitulo mais fofo q o outro *O*

    ResponderExcluir
  4. Puta que pariu, pq se faz isso cmg?? Emm, melhor web forever <3

    ResponderExcluir
  5. Oie manu Aqui e Mah Do grupo sua fic fica cada dia mas pft Continua Please

    ResponderExcluir
  6. Acho tão lindo essa preocupação que ele tem com ela *-*

    ResponderExcluir
  7. Posta +++++++++++++++++++++
    ♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡

    ResponderExcluir
  8. O thur é um sonho de homem , cada dia mais perfeito Xx

    ResponderExcluir
  9. Cada capitulo mais lindo do que o outro,estou amando essa sua web muito boa

    ResponderExcluir
  10. Amando essa temporada ta muito perfeita parece que imagino isso e fica melhor ainda arrasou :)

    ResponderExcluir
  11. Essa web é fodastica!

    ResponderExcluir