Capítulo 23- Take care‏

|


P.O.V’s Arthur Aguiar

O chaveiro era folheado a ouro e continha uma foto de Giovanna e o mesmo brilhava em minha mão. O cabelo dela estava mais escuro que o seu loiro atual, estava mais para um vermelho, seus dentes extremamente brancos formavam um sorriso de canto a canto e seus olhos azuis estavam radiantes. A foto foi tirada na época em que a vagabunda estava comigo.

-Vocês não acharam mais nada que comprove que foi Brandom?

-Pode ter sido ela, cara. – Chay disse e levou mais uma golada de vodka a sua garganta.

-Não viaja, dude. Giovanna assistiu poucas vezes a simulações que fazíamos e mesmo assim não acredito que ela tenha sido capaz de ter feito aquela explosão. –Travei o maxilar ao falar isso. Aquela vadia não deveria ao menos pensar em ter a ousadia de cometer tal ato.

-Agora, ela está com Brandom, Arthur. Ele deve ter se superado em muitas coisas e não estamos cientes do que ele pode estar aprontando ou ela.

-Ou eles. –Micael murmurou e tragou seu baseado.

-Vocês não ajudando em nada, seus vagabundos. Vazem daqui!

-Fábio, não esqueça de invadir os negócios de Brandom. –ele assentiu e levou mais um salgadinho a boca antes de sair do escritório.

Foram saindo um por um e Chay continuou sentado no sofá, olhando para a parede e sorrindo com algo que pensava.

-Você por acaso é surdo, cara?

-Sua empregadinha é deliciosa. –ele disse me deixando confuso e saiu rindo do escritório. Filho da puta.

“Você me deixaria ir pra faculdade?”

Lua fez essa frase ecoar em minha mente por um longo período de tempo. Já não consigo pensar nela apenas como uma vadia desde o dia da festa que dei, a qual Giovanna apareceu com Brandom. A conversa que tivemos antes de tudo ocorrer, no meu quarto, grudou em mim e pelo mais impressionante que pareça, ela estava se tornando mais que uma simples puta que como a hora que quero, estava se tornando uma amiga e não seria justo tratá-la como um lixo, porque ela se dá valor e mostra ser exatamente o oposto disso, mesmo não estando em condições de mostrar algo. Ela está me deixando gay.

A porta do seu quarto estava entre aberta, aproveitei pra me encostar ali e espioná-la. Lua vestia uma calça preta colada ao corpo, camiseta branca justa, calçava sua sapatilha de balé e seu cabelo estava preso em um coque me deixando ver cada detalhe do seu rosto perfeitamente esculpido. Ela sim, é a minha melhor vadia de todas.

Lua olhava para o seu reflexo no espelho, enquanto tombava seu corpo para frente e deixava sua perna subir lentamente, como se fosse automático. A aquela altura, eu já estaria com a virilha deslocada e usando bengalas.

-Você está ai á muito tempo? –sua voz me despertou do transe.

-Não, só queria lhe solicitar algo.

Ela caminhou até a porta e a abriu mais para mim como se eu não pudesse abrir aquilo por conta própria.

-Deveria avisar próxima vez, eu poderia estar pelada. –disse rapidamente e deu-me as costas me dando a visão privilegiada de sua bunda maravilhosa que estava muito bem marcada por aquela calça.

-Nada que eu não tenha visto.

-Um dia, eu espero ter a chance de tentar entender a sua bipolaridade.

-Um dia, Lua, quem sabe. –Sentei em sua cama, enquanto a observava, e ela rapidamente virou seu rosto para o outro lado. Ela iria corar, eu sei que iria.

Abriu a porta do armário e buscou por algo, e então o primeiro casaco apareceu em sua visão. Lembro de Lu vestida naquele casaco, seus cabelos loiros combinavam perfeitamente com a estampa felpuda de onça.

-Por que irá usar isso? Hoje está calor e deixo você usar a piscina. –Sorri, imaginando-a em um biquíni.

Sua mão pequena segurou a porta branca de madeira e a outra mão foi levada involuntariamente até sua boca. Seu corpo se impulsionava para frente com a seqüência de tosses seguidas.

-Você está bem? –Levantei da cama e ergui seu corpo que já estava quase no chão.

-Droga! Esses pelos do casaco me irritaram.

-Tem alergia? –Tossiu novamente.

Seus olhos castanhos que lacrimejavam, cravaram nos meus e ela parecia pensar em sua resposta.

-Sim, descobri quando era pequena.

-Então, por que diabos você pegou isso? –Ergui o casaco e ela abaixou a cabeça.

-Desculpe.

Lua caminhou até o banheiro e trancou o mesmo me deixando confuso. Parece que não sou o único bipolar.

-Abre isso aqui, Lua. –dei dois socos na porta.

-Me deixe sozinha, Arthur. Você não precisa ver isso, prometo que depois vou até o seu quarto atender a seus pedidos. –murmurou com a voz fraca e aquilo só aumentou a minha frustração.

-Lua, não me faça arrombar essa porta! –bati mais vezes. –LUA!

-Eu estou aqui, Arthur. Irei até você. –O que aquela maluca estava falando? –Só preciso de alguns minutinhos. –sua voz estava vacilando, cada vez mais baixa.

Afastei-me e lancei-me com tudo em direção a porta, a derrubando e por sorte não pegou em Lua que estava sentada em cima da privada com a tampa fechada, tinha a mão na barriga, sua cabeça estava tombada para o chão, e respirava com dificuldade, mas tentava buscar o ar dentro de si com rapidez a deixando cada vez mais ofegante.

Toquei seu corpo que antes estava quente por estar se aquecendo, e agora se encontrava com temperatura elevadamente fria, extremamente diferente da anterior. Segurei seu queixo e olhei para o seu rosto que continha lágrimas e ia ficando cada vez mais pálido.

-O que você tem? –murmurei me ajoelhando em sua frente.

-Me leve ao hospital, por favor. Eu não que-ro morrer. –falou com dificuldade me deixando confuso. –Não me deixe morrer, Arthur.

Agarrei seu corpo na tentativa de aquecê-lo e a carreguei até o hall de entrada, onde uma faxineira, amiga de Rose tirava o pó dos móveis.

-O que aconteceu com ela, Sr. Aguiar? –perguntou.

-Me ajude! Abra a porta para mim, por favor.

Ela fez o que pedi, e caminhei com rapidez até o primeiro carro que enxerguei, assistindo os olhos se fecharem dolorosamente.

-Lua, fica acordada. –Ela sorriu fraco, mas dessa vez já não lutava para respirar.

Sua mão tocou meu rosto e fez movimentos circulares e carinhosos no mesmo. A acomodei no banco de trás, e corri para o banco do motorista.

Por sorte, não havia guarda, pois eu já teria levado mais de três multas, e realmente espero que os filhos da puta que me xingaram não tenham anotado a placa do meu carro para denunciarem depois.

Estacionei o carro e corri até o banco de trás, onde Lua se encontrava desmaiada. Atravessei a porta de vidro do hospital, encontrando médicos andando pra lá e pra cá e pessoas tentando se distrair para esquecerem por um momento de que alguém está morrendo.

-EMERGÊNCIA! –gritei desesperado fazendo com que aquelas pessoas olhassem para mim.

Logo, três enfermeiros apareceram com uma maca e deitei Lua ali.

-Não pode entrar aqui, senhor  –o filho do da puta de um segurança me repreendeu. –Terá que esperar ali como todos. –fez um gesto com a cabeça apontando para as outras pessoas.

Liguei pra Fábio para que ele trouxesse os documentos de Lua que recebi quando a comprei e os meus documentos falsos que autorizassem a saída dela. Sentei no canto da sala e coloquei a cabeça entre as mãos, e apoiei os cotovelos nos joelhos. Por que tão complicada?

Gostaria de assistir sua reação quando eu lhe dissesse que poderia fazer faculdade desde que chegasse em casa na hora que iria propor. Ela ficaria feliz e o sorriso dela me traz uma paz fora do comum, que não sinto a muito tempo, que me acalma.

-Responsável de Lua Maria Blanco. –um médico disse e depois olhou para a prancheta.

-Sou eu! –Levantei exasperado.

-Me acompanhe, por favor.

Caminhei até ele, e o mesmo deu a volta no balcão e se acomodou na cadeira.

-A mudança de temperatura que ouve no corpo de Lua poderia desencadear uma mucosa brônquica, se ela já não possuísse. Com a falta de remédios e cuidados, a tendência de sua asma é piorar, levá-la a morte.Cuide dela, ela precisa de cuidados imediatos, Sr Aguiar. Não deixe que ela faça esforço e que ninguém a machuque fisicamente.

Aquilo mais parecia uma indireta e eu não encostaria nem mesmo um dedo em um fio de cabelo seu.


A Alice me mandou outro capítulo :D

15 comentários:

  1. Amandoooo...+++++++++++

    ResponderExcluir
  2. AHHHH....perfeitoo tadinha da luh. tomara que ela melhoree!!Amandoooo a webbbbb... posta maisss!!!!

    ResponderExcluir
  3. Aiiii, quero mais! Agora sim vai ser fofo, ele cuidando dela!

    ResponderExcluir
  4. O Thur ta xonado,que lindo *-* quero mais,muito mais !
    Alice

    ResponderExcluir
  5. Lindo posta mas! !!!!
    Lane Lima

    ResponderExcluir
  6. Espero que ela faça faculdade mesmo assim mas , ela tem que melhorar. Imagina que fofo o Thur cuidando dela :D

    ResponderExcluir
  7. ahh mais um por favor tá perfeito !!! ++++

    ResponderExcluir
  8. posta mais ai tem um tempao q vc nao posta essa fic

    ResponderExcluir
  9. POSTAAAA MAISSSSSS!!!!necessito da web !!!

    ResponderExcluir
  10. Ahhhhh Jesus tardinha dela posta mais essa web e perfeita demais

    ResponderExcluir
  11. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ por favor

    ResponderExcluir