O tempo cura tudo - 10º Capítulo

|



POV NARRADOR

Na manhã seguinte, o casal dormia de conchinha. Tinha sido uma noite longa, super romântica e de muito prazer. Lua sentia que finalmente havia encontrado o que tanto procurava: amor.
Das últimas vezes que Lua fez amor com Arthur, foi tudo forçado, se bem se lembram. Mas desta vez foi diferente. Ele estava nervoso, parecia que seria a sua primeira vez. Mas ele estava assim porque queria demonstrar respeito pra ela e claro, não queria fazer nada que prejudicasse a gravidez dela.

Por volta das 11horas da manhã, Arthur despertou e sorrio ao ver o que tinha entre seus braços: Lua. Lua dormia feita um anjo. Passaram a noite dormindo de conchinha e o Arthur estava incapaz de se levantar e estragar aquele momento. Mas queria de novo fazer o café da manha para Lua, preparar-lhe uma nova surpresa e por isso quis se levantar.
Levantou da cama, pegou a sua cueca boxer, mas antes teve de procura-la pelo meio daquela confusão. E quando ia a sair do quarto…

- Onde você vai? – Arthur se assustou, olhou para trás e viu Lua se cobrir com o lençol, enquanto sentava na cama – Fica aqui. – pediu, fazendo bico
- Bom dia. – ele deu um largo sorriso – Não te queria acordar. Queria preparar o café da manha.
- Não. Eu não estou com fome. Estou com saudade, vem aqui – ela fez sinal com o seu dedo e ele foi como um bobo até ela, a beijando – Obrigada por essa grande noite. Você provou realmente que me ama e que eu devo mesmo confiar em você. O jantar, a dança, as brincadeiras e ainda esta noite foram mágicas. – Lua lacrimejava – Eu te amo!
- Amor, fiz tudo por você. Eu também, te amo! – os dois se beijaram na cama

Arthur por cima de Lua e ela nua, apenas coberta com um lençol.
Ela colocou as mãos sobre o bumbum de Arthur e apertou. É… as mulheres grávidas ficam também safadas. Arthur se livrou daquele lençol e deitou, levemente, sem fazer pressão, sobre o corpo de Lua. Lua viu logo suas intimidades juntas e…

- É melhor parar! – Arthur saiu ofegante daquele beijo e foi para a janela respirar fundo – Lua, agente precisa de comer. Ou melhor, você precisa de comer, você não pode ficar sem comer, você tá gravida e…
- Arthur, calma! – Lua riu do nervosismo de Arthur. Ele falava tudo rápido, sem quase entender o que dizia
- É que se eu não parasse, você não saia dessa quarto durante uma, duas ou três horas
- Tanto assim? – ela riu de novo e se embrulhou no lençol – Vamos tomar um banho?
- Juntos? – Arthur perguntou
- Só se você quiser – Lua mordeu o lábio
- Vamos. – ele pegou as mãos dela e foram para o banheiro, tomar um banho

Na altura em que os dois começaram a namorar, na faculdade, entre meio de uma loucura se amaram num banheiro de lá. Fizeram amor também num baile e inclusive dentro do carro de um amigo.
Eles eram apaixonados. Não havia uma coisa que não fizessem juntos. Entravam nas brincadeiras juntos, nas brigas juntos e saiam sempre bem, juntos.
Vieram viver juntos e encararam a dura realidade. As despesas, uma vida de casa cheia de problemas e até problemas com drogas e álcool, no caso do Arthur. Foi isso que prejudicou a vida deles. Mas agora, tudo será diferente… ou não.

- Arthur, vamos dar uma volta?
- Onde?
- Não sei… - lhe ocorreu uma ideia – Tem um bar aqui que costuma fazer Karaoke. E é todas as sextas
- Hoje é sexta… mas Lua, um bar? – Arthur fez bico
- Você precisa de encarar os seus medos de frente. Algum dia, mais cedo ou mais tarde, você vai entrar num bar né?
- Você acha que eu sou capaz de entrar lá sem ceder à tentação?
- Por mim? – ela fez bico, sentando no colo dele – Por nós? – ela pegou na mão do Arthur e colocou na barriga grávida dela de dois meses e pouco
- O que eu não faço por vocês, né? – Arthur riu e acariciou a barriga da Lua – Já pensou no sexo desse bebé aqui?
- Ainda não… e você?
- Eu queria um menino, para poder jogar à bola comigo. Sabe? Fazer coisas de homem…
- Mas e se for menina?
- Se for menina quero que seja loirinha quem nem você, toda linda – Arthur beijou Lua
- Bobo! – ela riu entre o beijo – Olha, eu quero que seja perfeita ou perfeito. Lindo, saudável e… - suspirou – Preciso de chocolate branco Arthur.
- Assim do nada? – ele riu
- Não é assim do nada Arthur. Pow, eu quero! – ela levantou, cruzou os braços e bateu o pé
- Vamos no tal bar? Lá eu te compro chocolate
- Ebaa! – Lua bateu palmas – Vamos lá.

Foi só trocar de roupa, pegar a bolsa e o casal ir até ao tal bar. Estava coberto de gente, muita musica e bebida à mistura.
Lua e Arthur sentaram numa mesa, perto do palco e Arthur foi comprar o tal chocolate que Lua tanto queria. Ao seu lado, havia um grupo de jovens bebendo shots como quem bebia água, mas por incrível que pareça, Arthur não sentiu falta daquilo, apesar de gostar muito de beber.
Voltou para a mesa e ficou olhando em volta, o ambiente que se fazia sentir.

- Foi difícil ir lá sozinho?
- Não
- Mas eu te vi olhar para aquele grupinho
- É. Olhei mesmo
- Deu vontade de…
- … não. Por incrível que pareça, não. Nem um pouco
- Esse é o meu namorado! – Lua beijou o namorado super orgulhosa
- E tem como o seu namorado dar uma trinca no seu chocolate?
- Você até poderia dar uma trinca, mas não era no chocolate – Lua riu
- Safada Lua! – ele riu junto
- Desculpa. Os hormônios de grávida dão cabo de mim – riram juntos

Lua comeu chocolate branco, comeu um, dois e quando chegou ao terceiro teve de correr para o banheiro.

- Eu avisei que era de mais Lua! – dizia ele na porta do banheiro
- Tarde de mais agora… - Lua saiu meia pálida do banheiro privado e passou a boca por água, assim como o seu rosto
- Vem, você precisa de comer alguma coisa. Tudo menos chocolate
- Não fala de novo esse nome, por favor.
- Tudo bem – ele riu

Lua dessa vez decidiu comer batatas-fritas acompanhadas de uma coca-cola. Arthur fez companhia a ela e comeu também, enquanto assistiam às cantorias no karaoke.

- Lindo seria se você subisse ao palco e cantasse para mim – disse Lua, enquanto bebia suco e olhava ele, sorrindo
- Vão vai depois ter vergonha de mim? Eu canto mal
- Nunca! – ela riu – E você nem canta mal.
- Tá… eu vou então. Mas depois não reclame.
- Eu não vou reclamar. – ela riu

Arthur falou com os homens lá, pediu uma musica e antes de subir ao palco pensou bem na figura ridícula que ia fazer. Mas ele ia fazer isso por amor, então, seguiu em frente.
Sentou na cadeira que estava lá bem no meio do palco daquele bar e pegou o microfone. Riu, ao ver que Lua ria também pra ele e a musica começou a tocar.

“Ela é uma mulher menina que precisa urgentemente ser mais forte
Ela quer alguém que leia seu sorriso antes de olhar seu decote
Ela vê suas amigas se entregando ao primeiro que aparecer
Numa tentativa boba de se preencher
Garotas querem mais amor de verdade, mais sinceridade
Garotos são todos iguais, têm necessidade, não passam vontade
Mas estou aqui pra provar
Eu não te deixaria por uma aventura à toa
Nem te trocaria por qualquer outra pessoa
Só pra matar a vontade, o crime não compensa
Garotas inocentes não merecem chorar
Por garotos que não tem a verdade no olhar
Escolhi ser diferente amor, só pra te amar”

Não que Lua fosse uma mulher insegura, mas em especial, Arthur e Lua gostavam daquela musica. Desde que saiu, Lua não parava de cantorala pela casa e foi por isso que Arthur a escolheu.
Todos nós sabemos que Lua está grávida e grávida que é grávida, se emociona facilmente. Ao ver Arthur cantar, do inicio ao fim aquela Lua, Lua chorou até todas as suas lagrimas se esgotarem. Não chorou de tristeza, mas sim de felicidade, orgulho.

hey, rola comentários?

8 comentários:

  1. Amei a musica
    Eu amoooooo o luan santana , so loca por ele , sei tudo sobre ele
    ... adorei o cap. Tbm

    ResponderExcluir
  2. ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei

    ResponderExcluir
  3. amando mt aweb
    ass Sophia

    ResponderExcluir
  4. quero mais por favor

    Ana

    ResponderExcluir
  5. ++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir