O tempo cura tudo - 4º Capítulo

|

(olha a língua dele scrr!)




POV NARRADOR

Lua havia recebido dinheiro em atraso do trabalho e com aquele dinheiro ia pagar todas as despesas que tinha em divida. Acontece, que aquele dinheiro desapareceu.

- Arthur! – chamou ele – Cadê o dinheiro que eu tinha no quarto?
- Que dinheiro?
- Aquele monte de dinheiro que eu tinha para pagar as contas Arthur – Lua gritava
- Eu não sei de dinheiro nenhum – se fez de desentendido
- Ahh não? então onde você foi arranjar a porcaria do dinheiro para comprar cigarros? Onde?
- Eu achei dinheiro e comprei
- Achou é? Então porque não me deu para pagar as contas? Você está nessa casa à meses sem pagar uma única coisa. Eu estou trabalhando e pagando tudo e ainda sou maltratada
- Até parece né? – ele levantou do sofá e levantou também a voz – Até parece que para mim a vida é fácil né?
- Ahh claro, porque roubar e andar na droga é super difícil
- PARA COM ESSA MERD* DE CONVERSA! EU ESTOU FARTO!
- FARTA ESTOU EU DE TE ATURAR! – gritou – Quer saber? Cansei! Vai embora! Volta para a casa dos seus pais, vai para a put* que te pariu, vai para a casa do caralh*, mas sai daqui! Vai até morar de baixo da ponte! Vai embora! – Lua gritou de novo

Esta era a segunda vez que Lua via nos olhos de Arthur aquela raiva. E nem foi preciso contar até três para Lua ser agredida de novo. Arthur deu dois tapas nela e ainda puxou os seus cabelos.

- PARA DE ME DAR ORDENS! PARA! EU É QUE SEI DA MINHA VIDA, EU NÃO VOU EMBORA DROGA NENHUMA! – gritou – O QUE É QUE É? ISSO É UMA DESCULPA PARA VOCÊ TRAZER O OUTRO CÁ PRA CASA É?
- Que outro Arthur, eu não tenho outro…  -ela chorava de mais
- TEM SIM! OU ENTAO VOCÊ NÃO ESTAVA DESSE JEITO COMIGO! Mas quer saber? Eu vou te mostrar que esse cara não serve para nada! Eu é que sou o seu namorado, você me ama só a mim e não a outro.

E mais uma vez, Arthur voltou a rasgar todas as roupas de Lua e abusar de novo da garota. Desta vez, nem na cama foi. foi mesmo contra a parede da sala. Lua chorava, gritava, se debatia e até mordia… mas nada dava resultado. Arthur estava possuído por um demónio, chamado droga.
Se bem que, agora ele não estava sobre o efeito de nenhuma, mas acontece que a raiva já se apoderava do seu corpo, quer ele estivesse ou não sobre o efeito de drogas.

- GOSTA VADIA? GOSTA? – ele apenas aumentava as investigas – PRA QUÊ VOCÊ PRECISA DE OUTRO? PRA QUE? – ele a machucava – PRA  NADA! EU APENAS TE DOU PRAZER, EU! SÓ EU!
- Para Arthur, por f-favor… - Lua soluçava – Para!

(…)

A vida destes dois só piorava. Arthur já era conhecido nas ruas como drogado ou bêbado. Ele roubava dinheiro de quem quer que fosse para beber e se drogar.
A vida em casa dos dois tinha piorado. Lua todos os dias era machucada, todos os dias era abusada ou então era tratada que nem escrava. Se ela não fizesse o que Arthur queria, ela iria sofrer de novo nas mãos dele.

Um dia, Arthur saiu e Lua pensou que aquela sim era a altura dela fugir de casa e ir de novo com os seus pais. Assim foi. ela arrumou as malas, mas quando estava a descer as escadas do prédio, viu Arthur chegando, que lhe encarou desde logo.

- O que você pensa que está fazendo? – ele falou baixo, para que nenhum vizinho escutasse nada
- Na-da… - ela tremeu de medo – Não to fazendo nada.
- Sobe já essas escadas, antes que eu perca a cabeça
- Ok…

Mal Lua colocou os pés em casa, assim como Arthur, ela sentiu os seus cabeços serem puxados e o seu rosto ser estapeado.
Ela já tinha marcas por todo o corpo e para ir para o trabalho, ela tinha de usar maquilhagem e roupas compridas, apesar do calor que se fazia sentir.

Lua estava no sofá, toda machucada, chorando muito e tremendo. Ela estava aterrorizada. Arthur foi para a cozinha, ainda com raiva. Bebeu água e algo lhe passou pela cabeça.
Voltou à sala, olhou para Lua e sentou ao lado dela. Ela se encolheu com medo quando ele passou de leve a mão sobre a testa dela e começou a chorar…

- Que monstro sou eu? Eu não presto… - Arthur, finalmente, caiu em si – Olha o que eu te fiz. Me desculpa Lua, me desculpa.

Lua já sabia aquele papo todo de cor e salteado. Ela estava farta de todos os dias ter de ouvir as mesmas coisas. Mas o pior, é que tudo continuava a se repetir de novo.

- Eu não sei mais o que fazer… - ela chorava, em frente ao seu psicólogo – Eu estou com medo. Eu queria entregar ele, eu juro. Ele me bate, ele abusa de mim, me trata tao mal e ainda por cima se droga! Mas eu amo tanto ele…
- Lua, como é possível amar um homem que te faz tanto mal?
- Eu não sei… eu juro que não sei. – ela chorava de mais
- Você não tem família ou amigos próximos?
- Não… eu falo com eles quase todos os dias. Mas eles não sabem de nada do que já acontece à meses. Eu não queria os preocupar.
- Mas você precisa de ajuda. Eu faço de tudo para te ajudar, eu juro – ele segurou a mão dela – Se você quiser, eu vou lá a casa e falo com ele e…
- Não! – Lua o interrompeu – Por favor não. ele está com a mania de que eu tenho um amante e se você aparecer lá, ele vai achar que é você e tudo vai piorar
- É. Você tem razão…

 Lua chegou em casa e viu tudo bagunçado. Chegou na sala e deu por falta da sua tv. Teria sido assaltada? Foi até aos outros cómodos da cama, mas viu que era apenas a tv que faltava. Arthur não estava em casa, mas não demorou muito para ele chegar todo descontrolado. Seus olhos estavam vermelhos e o seu andar estava totalmente perdido.

- Porque demorou tanto? – ele falava de um jeito arrastado, perdido entre as palavras – Porque não veio mais cedo para casa? Onde andou? Teve com o outro de novo né sua vadia? – Arthur pegou um objeto de decorar a jogou na Lua, quase lhe acertando
- O que você fez com a Tv? – Lua pensou um pouco e… - Você vendeu a tv para se drogar? Para comprar merdas e ficar desse jeito de novo? – Lua não estava a acreditar nisso… - Eu juro que tento entender o porquê de você fazer tudo isso, mas eu não consigo Arthur. eu não consigo – Lua começava a chorar de novo – Você me desilude, me bate, me machuca por dentro e por fora e mesmo assim eu ainda te amo! Como é possível eu ser tao besta?

Lua estava se sentindo mal. Estava a ver tudo a girar e acabou por ir ao banheiro, lavar o rosto e respirar um pouco fundo.
O pior disso, é que essas tonturas começavam a ser regulares e para piorar toda esta situação, ela começou a sentir enjoos.

O que será que vem por ai?

9 comentários:

  1. Ela devia deixar ele trancado no quarto, e com algemas até ele melhorar.

    ResponderExcluir
  2. Aaaa quero mais ela ta gravida ne?

    ResponderExcluir
  3. A Lua está gravida?? Agora lascou tudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza, agora sim ela ta ferrada de vez!

      Excluir
  4. Afff..oh,mulher pr gostar de sofrer..bem q ela poderia fugir com seu filho

    ResponderExcluir
  5. anao ela gravida nao vc sempre poe a lua gravida muda um pouco

    ResponderExcluir
  6. to chocada, como ela pode amar esse cara que é um monstro?

    ResponderExcluir
  7. faz ela ir embora, ela nao se pode sujeitar a essa vida que leva, ela merece se libertar dele. ele tem que se tratar.
    ass Sophia

    ResponderExcluir
  8. +++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir