Não foi um erro - 11º Capitulo

|

No capitulo anterior…

POV LUA

- não… fica calmo. Lembra do assunto de ontem? Aquele do namoro?
- Lembro, claro – sorriu
- Entao… eu gostaria muito de voltar a falar sobre isso
- Você tem uma resposta para mim? – ele sorria
- Tenho… - mordi o lábio – Mas você tem de fazer umas coisas…

Ele se acomodou melhor na cama e me olhou serio, com um sorriso escondido que eu sei. Pegou a minha mão e falou…

- Que coisas?
- Você tem de ter calma… agente até pode começar a namorar, porque realmente eu me sinto atraída por você. Mas você não pode querer avançar as coisas rápidas de mais.
- Você tá querendo falar de sexo é?
- É mais ou menos isso… - eu não sabia bem como explicar
- Mas Lua, quanto a isso não tem problema. Agente fez amor uma vez já.
- Mas mesmo assim. – insisti – Naquele dia foi uma fraqueza minha. Eu estou gravida e o meu nível de carência é infinito, você sabe.
- Eu sei – ele riu – Mas agente vai com calma. Se eu me apressar de mais, você fala e eu me acalmo. – ele fez um carinho no meu rosto – Mais alguma coisa?
- Eu não quero tornar isto “publico” por enquanto.
- Tudo bem. Você é que sabe.
- Você não ficar chateado por isso?
- Lua, eu quero namorar você, quero ficar colado a você. Pouco me importa se são duas ou três pessoas que sabem. Pouco me importa que seja o mundo inteiro. Eu quero é ficar com você.
- Bobo! – fiz um carinho no rosto dele
- Andar de mãos dadas não pode?
- Acho que pode…
- Dar presentes pode?
- Melhor presente que você me dá é estar me ajudando desse jeito. Já chega de presentes.
- Mas eu quero te encher de presentes
- Mas não precisa… - eu ri, fazendo ele rir também – Quero dizer, até precisa!
- O que precisa então?
- Eu quero pão com ovo, suco de maracujá. Quero morangos e chantili e ainda chocolate branco com pepitas daquele preto sabe? Que agente viu no mercado, no outro dia? Então, eu queria isso. queria também…
- Tudo isso? você vai dividir comigo? – ele me interrompeu
- Pow, eu ia pedir algo mais e esqueci. Culpa sua. Não, não vou dividir! – cruzei os braços
- E se eu fizer tudo isso, eu ganho um beijo?
- Quem sabe… - ri

Os beijos começaram assim. Eu pedia coisas, ele fazia ai tinha como recompensa um beijo. Eu juro que pensei que esse namoro não ia dar certo, porque agente tinha uma diferença de idades um pouco grande. Eu tinha 15, quase 16 e ele já tem 20. Ou seja, tem muita mais experiência que eu, muitas mais coisas vividas e afins. Eu não tenho nada disso.

Mas não me arrependo nada de cada momentinho que eu vivi com ele. Todos os dias havia uma nova história para contar. Passamos um mês no pegando e tornamos o namoro oficial. A nossa história estava linda. Se fosse contada, daria um filme ou sei lá.
Todo o dia, o Pedro me tirava fotos fosse o que fosse que eu estivesse fazendo. Mas bom, se bem que ele agora não me deixe fazer muitas coisas.

- Precisamos de falar de coisas serias agora.
- O que pro exemplo? – perguntei
- A Yasmin está quase nascendo. Esqueceu?
- Você acha mesmo que eu me esqueci disso? – encarei ele – A minha filha é a minha vida.
- Então… - ele se aproximou – Eu acho que temos de pensar em arrumar as coisas pra ela. Berço, mamadeiras, chupetas, mais roupas, acessórios e essas coisas que os bebés precisam.
- Mas essas coisinhas ela até tem. O berço e outras mobílias é que não.
- Então vamos tratar disso
- É… você tá certo! – e estava mesmo – Temos é de antes ver o espaço lá no meu quarto.
- Isso é outra coisa que eu gostava de te dizer.
- O que tem?
- Porque você não dorme comigo? – ele lançou a pergunta como uma bomba
- Dormir com você? – eu até gostei da ideia, mas… - Você tem certeza?
- Eu tenho… você eu não sei. A minha cama é maior, da pra gente bem. E o quarto em que você dorme poderia ficar para o bebé.
- A bebe! – corrigi ele – Mas não sei Pedro…
- Lua, entende uma coisa – ele pegou as minhas mãos – Lembra do dia que agente começou a namorar? – eu assenti – Eu falei que não ia forçar nada. E não é isso que eu tenho feito? – eu assenti de novo – Então… eu só to pedindo para você dormir lá, não to dizendo que por você dormir lá, tenha de acontecer alguma coisa. Se você quiser, eu até durmo no chão.
- Não precisa bobo – rimos – Eu acho que até vou gostar. Eu só durmo de conchinha com a fronha, sabia?
- Fala serio Lua! – ele riu litros de mim
- Eu estou falando uê – continuamos rindo

Ele tinha razão. Passando as minhas coisas para o quarto dele foi tudo mais fácil, pois assim o quarto em que eu dormia ficou para a Yasmin.
Demoramos um pouco a comprar todas as coisas necessárias para que o quarto da minha filhinha ficasse como um verdadeiro quarto de princesas. Era isso mesmo que ela merecia: ter um quarto de princesas!

Passamos dias decorando o quarto, pitando paredes e deixando tudo no estado incrível que ficou. Mas felizmente tudo deu certo.
Após o ultimo dia de “obras” lá em casa, eu e o Pedro deitamos no chão do quarto da minha princesinha e ficamos olhando em volta.

- Ficou lindo o quarto dela né?
- logico que ficou! Muito obrigada – agradeci a ele
- Você ajudou. A sua filhinha vai ficar muito agradecida.
- Eu sei – ri – Estou louca para que ela nasça logo. Já não consigo fazer nada, nem dormir eu consigo. Meus pés doem de mais, assim como as minhas costas. Já para não falar do peso que eu ganhei à mais.
- Logo, logo tudo vai melhorar.
- E é nisso que eu quero ajudar – ele se colocou de frente para mim
- Nisso o que?
- Na parte de “tudo vai melhorar”…
- Quer ajudar como?
- Eu queria fazer parte dessa criança… - ele colocou a sua mão na minha barriga de 8 meses de gestação – Eu queria que ela crescesse e olhasse para mim e me visse como um pai. Um cara que sempre teve com ela, que lhe ajudou a crescer. Não apenas como o namorado da mãe, mas como seu pai também. Lua… - ele respirei fundo – Eu gostaria de assumir o cargo de pai pra ela, para que ela não cresça sem um. Mas claro, isso, se você autorizar.
- Você tem certeza do que está pedindo?
- Logico Lua! Pelo amor… ela pequena tá sendo tao importante para mim. Eu acompanhei quase todos os meses da sua gravidez. Eu que fiz todos os seus caprichos, aguentei as suas brigas, as suas carências. Eu fiz parte disso com você. Eu não quero tirar o lugar do Arthur, logico que não, pois sei que ele é que é o pai verdadeiro. Eu apenas quero que…
- Pedro! – eu interrompi ele – É logico que eu deixo! – beijei ele não hora, feliz e emocionada com tal coisa que ele me pediu…

Sinistro né? Proximo capitulo tem surpresa!

15 comentários:

  1. +++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  2. Posta mais esta web estou amando

    ResponderExcluir
  3. Posta mais hoje so mais um por favor

    ResponderExcluir
  4. Posta mais um hoje antes que eu tenha um ataque cardiaco

    ResponderExcluir
  5. Amando a web. Tá d+++++ posta mais. Pf!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Posta mais hoje, por favor

    ResponderExcluir
  7. Ai juro que nao quero que a lua fique com arthur...Apenas

    ResponderExcluir
  8. Isso ñ pode acontecer CLARO QUE NÃO, e quando o Thur voltar como é que ele vai ficar? Eu discordo plenamente disso acho que na certidão da Yasmin tem que ter sobrenome do Thur e ñ do Pedro. Maais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho o contrario,ou melhor quase isso...O Pedro poderia sim ser como um pai da criança..O Arthur poderia voltar antes e não deixar que isso aconteça...é mas nesta Web o Thur foi um inrresponsável kk' Mas ta lindo d+!! Continua Hoje!

      Excluir
  9. Se eu morrer hj a culpa eh tua Cris por n postar mais!! Amando a web vc escreve muit bem!
    Posta Luar na casa dos segredos tbm!!
    Ass:Vanuza

    ResponderExcluir
  10. Cris, não é querendo se meter, mais li uma web uma vez, que o Arthur sumiu anos depois e voltou com um filho, mas que vinha a ser do marido da Lua, aí o marido dela acabou se reconciliando com a mulher dele, deixaram o filho deles para LuAr cuidarem, mas antes dele ir embora ele disse que Arthur era o pai da menina, acho que ficaria bem legal se fosse mais ou menos assim :) E posta mais, tô muito curiosa :)

    ResponderExcluir